Fátima | João Heitor conclui doutoramento com tese sobre importância turística da Imagem Peregrina

Qual a relação entre o crescimento do turismo e as viagens da imagem peregrina? João Heitor foi investigar o fenómeno Foto Montagem: Santuário de Fátima/CM Ourém

A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima como marca na promoção do turismo religioso em Fátima foi o tema central da tese de doutoramento que o vereador socialista da Câmara de Ourém, João Heitor, defendeu dia 2 de maio na Universidade de Lisboa. O trabalho, aprovado por unanimidade, no ramo do turismo, constata a relação direta entre as sucessivas deslocações da Imagem Peregrina pelo mundo ao longo das décadas e o crescimento do turismo religioso em Fátima.

PUB

“Podia ter escolhido diversos temas na área do turismo nacional e regional. Porém optei por estudar um tema de Fátima, por ser um fenómeno do nosso concelho, que já acompanhei de perto e que pretendia aprofundar”, esclareceu João Heitor ao mediotejo.net.

“Só existiam dois estudos de doutoramento em Fátima, relacionados com as dinâmicas dos santuários marianos e com o território de Fátima. Eu arrisquei um pouco mais e estudei a imagem peregrina como marca do turismo religioso, nos fluxos internacionais de turistas/peregrinos, tendo em conta que estes são fundamentais para o aumento do número de noites nas unidades hoteleiras, para a dinâmica da cidade de Fátima e para a restante oferta regional em termos de património e cultura”, refletiu.

Não existindo muito bibliografia sobre a temática, o atual vereador socorreu-se da documentação disponibilizada pelo Serviço de Estudos e Difusão do Santuário de Fátima, assim como dos relatos das primeiras cinco viagens que a imagem desenvolveu a partir de 1947 para fora de Portugal. Conforme constata, estas viagens despoletaram um contínuo de pedidos ao longo dos últimos 72 anos, cada vez para territórios mais longínquos no mundo.

“Só a primeira imagem peregrina, que esteve em constante peregrinação durante 53 anos, visitou, pelo menos uma vez, 78 países em todos os continentes. Depois houve a necessidade de serem criadas réplicas. Desde o ano 2000 que esta imagem ficou entronizada na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, estando em circulação pelo mundo, 12 réplicas”, refere o autarca.

PUB

A investigação de João Heitor desenvolveu-se ainda através da elaboração de dois questionários: um no IV Workshop Internacional de Turismo Religioso (2016) e outro numa viagem de uma das imagens peregrinas à paróquia de Ladispoli, em Itália. “No primeiro inquérito, de entre muitas conclusões, destaco a assumpção de que nos últimos anos passou a existir uma convergência de sinergias entre a estrutura religiosa, comercial e institucional (autarquia e Turismo de Portugal)”, adianta.

“Durante muitos anos Fátima não colheu da parte das autoridades nacionais de turismo o reconhecimento da sua dimensão que, há longas décadas, era amplamente identificado. Podia existir o reconhecimento, mas o turismo religioso foi ignorado ao não ser um elemento de promoção internacional”, salienta.

“Relativamente à importância da imagem peregrina para o desenvolvimento do turismo religioso em Fátima, a maior parte dos inquiridos consideram-na importante (33%), muito importante (58%) e extremamente importante (8%)”, afirma.

Já na deslocação a Itália, onde permaneceu durante uma semana, João Heitor colocou a questão: após assistir a estas cerimónias com a Imagem Peregrina, sente-se motivado para ir a Fátima?. “93% dos participantes disseram que sim. Ainda que muitas destas pessoas acabem por não vir a Fátima, em cada incursão de uma imagem peregrina num determinado local fica a germinar no pensamento das pessoas o desejo de virem conhecer ou revisitar Fátima”, concluiu.

“Para perceber se efetivamente há uma relação de causa/efeito entre a passagem das imagens peregrinas em diversos destinos e a vinda, posterior, de grupos organizados ao Santuário de Fátima, procedi a um cruzamento de informações tendo apurado, num período de 8 anos, 192 relações diretas. Através de todos estes resultados, com análise bibliográfica e com a realização de uma entrevista ao Reitor do Santuário de Fátima, reuni todos os elementos que me permitiram comprovar a importância da imagem peregrina para a oferta espiritual e turística de Fátima e da região”, afirma.

O autarca refere que existem atualmente duas editoras interessadas em publicar a tese, mas neste momento encontra-se a recuperar energias, “visto que trabalhar e tirar um doutoramento, ao mesmo tempo, exigiu muita privação e resiliência”.

A tese foi aprovada por unanimidade, sendo que a nota será lançada após pequenas correções ao nível de mapas.

Na reunião camarária de 6 de maio, o executivo municipal aprovou por unanimidade um voto de reconhecimento a João Heitor, proposto pelo presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque (PSD-CDS).

“O reconhecimento de Fátima como centro de fé e espiritualidade mundial, enquanto cidade da paz e altar do mundo tem um significado imaterial e incomensurável para o nosso município, sendo oportuno e justo destacar o enorme contributo que este estudo pode trazer para o turismo religioso e para a nossa região”, refere o texto apresentado.

“Pelo título académico ora alcançado, mas, sobretudo, pelo reconhecido mérito do tema e pela sua ligação e importância para o concelho de Ourém, manifestamos as nossas felicitações ao munícipe”, conclui.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here