Entroncamento | Assembleia recomenda adesão à campanha de esterilização de cães e gatos

Assembleia Municipal do Entroncamento. Foto: mediotejo.net

A Assembleia Municipal do Entroncamento aprovou por unanimidade uma recomendação para que o executivo municipal “adira com a maior brevidade possível à campanha nacional de esterilização de cães e gatos de companhia”.

PUB

A recomendação foi apresentada pela deputada municipal Rosa Teixeira (CDS-PP) e suscitou alguma discussão entre as diferentes bancadas sobre a alimentação de animais errantes na rua, que são cada vez mais, e a falta de civismo de alguns donos de cães que não recolhem os dejetos dos animais.

No documento recomenda-se também “que se possa efetuar uma campanha de sensibilização para que se cumpra o regulamento municipal de gestão de resíduos e higiene urbana”. E, por fim, “que se possa desde já adotar medidas de controlo dos pombos na nossa cidade, nomeadamente a distribuição de alimento com contracetivos”.

A eleita do CDS constata que no Entroncamento “tem vindo a crescer o número de animais domésticos, abandonados ou errantes, algo que é claramente visível e de conhecimento da população em geral”, um fenómeno que “acontece pelo simples abandono, ou pela incapacidade financeira de alguns proprietários de esterilizar os seus animais”.

O problema agravou-se desde que, “com a lei 27/2016 os centros de recolha de animais, passaram a estar impedidos de abater animais para o controlo da população, isso tem levado à sobre lotação dos centros de recolha (Canis/ Gatis) e consequentemente uma incapacidade de recolha dos animais que vivem na via pública”, lê-se na recomendação, na qual se refere que “estes animais errantes começam a fazer colónias e matilhas, que necessitam de ser controladas”.

PUB

Outro aspeto que Rosa Teixeira aponta é “a alimentação desses animais na via pública, o que cria também condições favoráveis a que os animais se possam reproduzir”. Além de ser proibido pelo regulamento municipal de gestão de resíduos urbanos e higiene Urbana, tem também um outro problema associado que se começa a sentir em algumas áreas da cidade (Centro, Casal da Galharda) que são os pombos, denuncia a eleita, para quem “os pombos são dos animais que mais rapidamente se reproduzem e que causam enormes prejuízos, tanto ao nível material como de saúde pública”.

A propósito da recomendação, intervieram os deputados Manuel Faria (PSD), Ricardo Antunes (PS), Reinaldo Amarante (BE) e António Ferreira (CDU) sobre a legislação nesta matéria, a situação do canil e os comportamentos reprováveis de alguns munícipes.

O presidente da Câmara, Jorge Faria (PS) defendeu maior civismo por parte de quem tem animais em relação à recolha de dejetos na rua.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here