Eleições/Santarém | Líder da distrital do PSD pede a Rio que tire conclusões do “mau resultado” (c/AUDIO)

João Moura, presidente da distrital do PSD de Santarém. Foto: DR

O presidente da distrital social-democrata de Santarém defendeu hoje que o partido deve “tirar conclusões” do “muito mau resultado” obtido domingo e que Rui Rio, na reflexão que vai fazer, deve perceber que “as coisas não correram bem”. João Moura referiu-se ainda aos resultados negativos em alguns concelhos do distrito num resultado global que, apesar de manter os três deputados,  #é um resultado abaixo daquilo que será exigível a um partido como o PSD”.

PUB

“Obviamente que é um resultado que não nos pode deixar satisfeitos. É um resultado que, mesmo mantendo o número de deputados que o PSD já tinha, é um resultado abaixo daquilo que será exigível a um partido como o PSD. Houve aqui, de facto, resultados no distrito, em alguns concelhos, em que tinha uma expectativa muito diferente em termos de score eleitoral”, afimou ao mediotejo.net.

Em declarações à Lusa, João Moura sublinhou que a sua opinião não vincula os órgãos distritais, que irão reunir-se para discutir os resultados obtidos pelo partido nas eleições legislativas de domingo, tanto a nível nacional como distrital.

Sobre o que o leva a questionar a liderança de Rui Rio, que apoiou na disputa com Santana Lopes, o presidente da distrital de Santarém afirmou que o momento em que apoiou o atual presidente do PSD era “completamente diferente” e que a estratégia por este delineada “não funcionou”.

“O PSD teve um dos piores resultados de sempre. Algo não correu bem e é preciso tirar conclusões”, disse, adiantando que, no tempo que Rui Rio pediu para refletir, tem que perceber que “as coisas não correram bem”.

PUB

Apesar de ter sido mandatário de Rui Rio no distrito e de ter “ajudado” à sua eleição na disputa interna com Santana Lopes, João Moura afirmou que “não tem qualquer vínculo ou ligação” ao atual líder.

Reafirmando o seu descontentamento pelas “escolhas e pela forma como foram feitas”, no processo de elaboração da lista de candidatos pelo distrito, numa referência à imposição do nome de Duarte Marques como número três, deixando de fora o nome indicado pela concelhia de Santarém, Ramiro Matos, João Moura afirmou que essa questão é “passado”, mas frisou que “não foi do [seu] agrado”.

Para João Moura, “era altamente provável ter um resultado diferente, para melhor, se o processo tivesse sido feito de outra maneira”.

Contudo, “dentro das circunstâncias”, o resultado obtido pelo PSD no distrito de Santarém foi “o menos mal”, com a concelhia de Ourém, que lidera, a “salvar a honra do convento”, disse.

O PS venceu as legislativas de domingo com 36,7% dos votos, tendo o PSD obtido 27,9%.

No caso do distrito de Santarém, 25,2% dos eleitores votaram no PSD e 37,1% no PS, sendo que nos concelhos com Câmaras de maioria social-democrata, apenas em Ourém, Mação e Rio Maior o PSD suplantou a votação dos socialistas.

Em Ourém, o PSD obteve 46,4% dos votos, contra os 21,8% do PS, em Mação (concelho de origem de Duarte Marques) 38,1% (o PS alcançou os 36,5%) e em Rio Maior (de que a cabeça de lista Isaura Morais era presidente da Câmara) 36,1% (33,1% para o PS).

Nos concelhos de Ferreira do Zêzere, Sardoal e Santarém (Câmaras de maioria social-democrata), o PSD obteve 34,4%, 28,5% e 25,7%, ficando atrás do PS, partido que teve 35,5%, 35,7% e 37,7%, respetivamente.

O PS elegeu domingo quatro dos nove deputados do círculo eleitoral de Santarém, o PSD três, o BE um e a CDU outro, tendo o CDS perdido a deputada que havia eleito há quatro anos no âmbito da coligação com o PSD.

C/LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here