“Dormir bem não é para todos…”, por Hália Santos

Uma das melhores coisas que alguém pode ter na vida é dormir bem, não achas?

Verdade! Não consigo imaginar o que é alguém ter que começar um dia de trabalho sem ter dormido em condições.

Costumo dizer que a melhor coisa que herdei do meu pai foi mesmo essa capacidade de pôr a cabeça numa almofada e adormecer no momento seguinte, tenha as preocupações que tiver.

E que amanhã seja o que tiver que ser!

É mesmo isso! Quem dorme bem vive sempre com essa tranquilidade de saber que quando o dia chega ao fim vai mesmo libertar-se de tudo quanto possa ter acontecido e que os desenvolvimentos só virão do dia seguinte. Nessa altura, com energias renovadas.

Isso é um privilégio de muito poucos. Já viste as notícias que dizem que no último as vendas de produtos para dormir aumentaram 46%?

Sim, são números assustadores. Se as pessoas precisam cada vez mais químicos para dormir, alguma coisa deve estar muito mal… Genuinamente, tenho pena de quem não consegue adormecer bem nem dormir em condições.

Se fosse há uns anos, atribuía-se este aumento à crise. Hoje, neste Dia Mundial do Sono, os Média também nos recordam que 20% dos portugueses têm dificuldade em adormecer e que dois terços não dormem o suficiente.

Parece-me normal que certos problemas tirem o sono às pessoas, sobretudo aquelas que sabem que não vão conseguir cumprir com o que se comprometeram.

Aquelas para quem a palavra ainda tem muito valor. Aquelas que sentem o peso da responsabilidade, sobretudo quando outras pessoas dependem delas. Deve ser mesmo muito difícil simplesmente adormecer.

Por isso é que eu digo, maravilhosa característica que eu herdei. Felizmente que a genética tem destas coisas. O engraçado é que nem sempre as outras pessoas reagem bem a esta capacidade de adormecer, em qualquer lugar, em qualquer circunstância. Às vezes sinto-me que isto lhes causa uma certa irritação. Parece-me que dormir bem suscita inveja a muita gente, o que não deixa de ser engraçado.

Se bem me lembro, tens estórias engraçadas sobre isso…

Pois tenho! Uma vez, carregada de sono, sentei-me à chinês no meio de uma pista de uma discoteca e ninguém conseguiu de lá tirar-me. Talvez estivesse embalada pela música! Só quando a discoteca fechou é que fui saí do meio da pista. Nem os tropeções dos outros me incomodaram…

Tens que admitir que isso é muito estranho!

Para quem está de fora, talvez. Para mim é simples: preciso de dormir, durmo. Já dormi 48 seguidas sem estar especialmente cansada. Apeteceu-me. Só me levantei para ir à casa de banho, mas fui a dormir e quando acordei nem me lembrava de o ter feito.

Mas esse sono chega a ser inconveniente…

Ou não, até pode dar jeito! Por exemplo, no meio da maior discussão da minha vida, que deu origem a uma das decisões que mais mudou a minha vida, adormeci no sofá.

E o que fez a outra pessoa?

Foi para a cama, dormir…

DEIXAR UMA RESPOSTA