Dia da Artemrede mostrou em Santarém “boas práticas” a decorrer nas comunidades locais

Modos de Ver. Foto: Artemrede

Santarém acolheu hoje a celebração do primeiro Dia da Artemrede, projeto de cooperação cultural que envolve 16 municípios, com um encontro de partilha de “boas práticas de iniciativas que estão a transformar as comunidades locais”, disse fonte autárquica.

PUB

A vice-presidente da Câmara Municipal de Santarém com o pelouro da Cultura, Inês Barroso, disse à Lusa que o Dia da Artemrede assinala o início da atividade da associação, que ocorreu há precisamente 14 anos com a apresentação do primeiro espetáculo no teatro municipal da cidade (Sá da Bandeira), que acolheu o encontro de hoje.

Na sessão da manhã, foram apresentados “projetos de boas práticas que estão a ser desenvolvidos e que nem todos os concelhos da rede conhecem”, tendo a tarde sido reservada a visitas às exposições “Água, Terra, Ar”, de arte digital, patente no Palácio Landal, e “Subway Life”, de António Jorge Gonçalves, na sala de leitura Bernardo Santareno.

Seguiu-se a apresentação, na Casa do Brasil, do projeto Santarém Cultura, que está a ser desenvolvido desde o início do ano pela equipa do programador, produtor e engenheiro projetista João Aidos, e uma visita ao museu de S. João de Alporão, que tem estado encerrado ao público e que o município espera reabrir em breve.

O programa termina ao final da tarde com a apresentação do ‘work in progress’ da performance que o coreógrafo escalabitano Nuno Labau está a desenvolver numa residência artística apoiada pelo Santarém Cultura, “Step 2 Duplicate”, num esforço de “potenciar artistas emergentes para que possam também ir aos outros municípios”, disse João Aidos à Lusa.

PUB

Na sessão da manhã foram apresentados projetos como o “Outros Centros”, que, desde 2017, dinamiza iniciativas como a “Patri…Kê”, de educação patrimonial, que tem levado jovens alunos a serem guias de visitas a pontos do património dos seus concelhos, e o “Manobras”, Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, que terá a sua terceira edição de 13 de setembro a 31 de outubro.

Além dos espetáculos, o festival, em que parte da programação é decidida pelos grupos de espetadores “Visionários”, inclui projetos de participação comunitária, percursos pelo território e a iniciativa “Objetos Visuais”, obras audiovisuais produzidas para espaços museológicos pelo cineasta e músico António-Pedro.

Foi ainda apresentado o novo projeto da Artemrede “Meio no Meio”, de inclusão social através de práticas artísticas, com direção artística do coreógrafo Victor Hugo Pontes e apoio do programa PARTIS da Gulbenkian, que vai acontecer, até 2021, em bairros degradados de Almada, Lisboa, Barreiro e Moita.

No encontro estiveram ainda em destaque dois projetos europeus de que a Artemrede é parceira: o “Be Spectative!”, que envolve 19 parceiros de 15 países com o objetivo de envolver os cidadãos em processos criativos, e o “Reshape – Reflect, Share, Practice, Experiment”, projeto de investigação que visa criar modelos de organização alternativos para o setor cultural.

Em preparação está o terceiro “Fórum Político” da Artemrede, reunião de autarcas que se realizará a 02 de maio em Pombal (Leiria) tendo por tema “as redes culturais como modelos de cooperação para o desenvolvimento dos territórios”.

Este ano, a associação vai dar início à elaboração da sua Carta de Compromisso, “instrumento de afirmação política e identitária da rede, um mecanismo de qualificação e valorização dos territórios, das equipas municipais, dos artistas e das comunidades”, e prosseguir o trabalho de formação “nos diferentes níveis: político, artístico e técnico”.

Por outro lado, vai avançar o “estudo de impactos sobre o investimento e retorno da Artemrede”, previsto no seu plano estratégico e operacional.

Integram a Artemrede os municípios de Santarém, Abrantes, Tomar, Alcanena (distrito de Santarém), Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Sesimbra (distrito de Setúbal), Lisboa, Oeiras, Sobral de Monte Agraço (Lisboa), Alcobaça, Pombal (Leiria) e Montemor-o-Novo (Évora).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here