Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

O Tejo, em Vila Nova da Barquinha

Quando tirei esta fotografia lembrei-me da música The River, de Bruce Springsteen, do álbum com o mesmo nome, editado em 1980.

“The River” pode ser este rio, o nosso rio, pode ser apenas um rio ou “o rio”.

Um rio não tem dono, não é de ninguém e é de todos. Porque praticamente todos nós temos um rio – o nosso rio.

PUB

Artigo anteriorFutebol: Alferrarede leva três pontos de Tramagal com a cabeça (com áudio)
Próximo artigoHomem morre em Abrantes ao atirar-se do 7º andar do Hospital/ATUALIZADA
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here