Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

Interior. Muito se fala do interior e dos reflexos do seu despovoamento.
Por muito que os que por cá se vão mantendo se esforcem e tentem cumprir o seu papel, é difícil tapar a imagem do que realmente é o país, por dentro.

PUB

Quer na ausência de sinais de pessoas, quer no abandono de cuidados do território.
Apesar dos cuidados com a sinalização rodoviária, que interessa saber para onde vamos?

(Fotografia: estrada que serve a povoação de Lercas, Abrantes, maio de 2019)

PUB

Artigo anteriorOurém | Associação de Hotelaria de Portugal satisfeita com adiamento de Taxa Turística
Próximo artigoFutebol | Parreira vence Vilarregense (1-0) e conquista série 2 da Liga Inatel
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here