Crónica fotográfica, por Paulo Jorge de Sousa

Discutir e trocar impressões sobre a atualidade.

PUB

Segundo consta, era esse o motivo das inúmeras conversas que Fernando Lopes Graça e “Nini” Ferreira tinham ali, em Tomar.  Essa particularidade está bem vincada na obra do escultor Rui Fernandes. Irão continuar ali, eternamente, a comentar a atualidade, nem que seja através da nossa imaginação.

E pergunto eu, se mesmo de costas para o rio Nabão, se já teriam comentado alguma coisa sobre os anunciados investimentos do governo para o ano de 2019, inclusive da nova (velha) travessia entre Abrantes e Constância, necessidade que já ouço falar faz mais tempo do que aquele que eles ali estão sentados?

Uma boa semana para todos.

PUB

Artigo anteriorAbrantes | Miguel Baptista sagra-se campeão nacional de estrada pelo Maratona
Próximo artigoEntroncamento | Ministro e bombeiros de mãos dadas na festa dos 70 anos da AHBVE (c/fotogaleria)
Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

1 COMENTÁRIO

  1. Os investimentos de que o artigo fala, muito ao de leve, não são para 2019, nem pouco mais ou menos. Alguns, os que passarem das pavaras à obra serão realizados até 2030. É isso até 2030. Agora quanto a essa nova ponte idealizada para Abrantes, se houver juizo e justiça, a mesma poderá vir a ser feita depois de terem concluido o IC3, agora A13, enre Almeirim e a Atalaiam para ligar o Alentejo desde a Marateca, passar pelo Ribatejo, sim pelo RIBATEJO, e ir até à Beira Litoral a camino do Norte de Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here