Constância | Cabine telefónica transformada em minibiblioteca de acesso livre (c/ fotos e vídeo)

Momento da inauguração da Cabine de Leitura. Foto: DR

As referências à literatura, sobretudo a Luís de Camões, marcaram a inauguração da Cabine de Leitura, no dia 5, na Praça Alexandre Herculano em Constância, ou não estivéssemos no coração do centro histórico da chamada “Vila Poema” e numa praça com um dos nomes mais importantes da literatura portuguesa.

PUB

Ali se juntaram o presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, a diretora da Fundação PT, Graça Rebôcho, o presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira, entre outros autarcas e convidados para inaugurarem a Cabine de Leitura, que resulta da transformação da antiga cabine telefónica numa minibiblioteca.

Fomentar os hábitos de leitura junto dos seus munícipes e dinamizar o Centro Histórico da vila são os principais objetivos desta iniciativa que surge na sequência de um protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Constância e a Fundação PT.

Esta ideia foi reforçada pelos dois intervenientes na hora dos discursos. O presidente executivo da Altice Portugal começou por citar Luís Vaz de Camões: “Quem quis, sempre pôde”. Alexandre Fonseca desenvolveu a estratégia da Altice assente em investimento, inovação e proximidade, sendo que a responsabilidade social faz parte das prioridades da empresa, nomeadamente através da fundação PT, que, a partir do próximo ano, vai passar a chamar-se Fundação Altice.

Constância | Cabine telefónica transformada em minibiblioteca de acesso livre (c/ fotos e vídeo)
Presidente da Altice e Presidente da Câmara. Foto: DR

O principal rosto da operadora recordou como surgiu a ideia de transformar as antigas cabines telefónicas em microbibliotecas. A ideia começou na Inglaterra e foi aproveitada pela PT que em 2013 inaugurou a primeira Cabine de Leitura em Barcelinhos. Atualmente já são cerca de duas dezenas espalhadas pelo país.

PUB

Não se pense que, com o advento dos telemóveis, as cabines telefónicas se tornaram obsoletas. Alexandre Fonseca revelou que ainda se fazem cerca de 8 milhões de chamadas por ano em Portugal em cabines públicas.

Numa lógica da proximidade às populações, surgiu a ideia de se transformar as cabines em equipamentos urbanos, seguindo também a política de responsabilidade social da Altice, “alicerçada em quatro áreas: arte, empreendedorismo, ação social e educação”, conforme referiu aquele responsável.

Alexandre Fonseca abordou ainda o lema que está subjacente às minibibliotecas: “levar, doar, ler e devolver”, para terminar desafiando todos a utilizarem o novo equipamento.

O presidente da Câmara de Constância começou por ler um trecho do soneto de Camões “mudam-se os tempos, mudam-se as vontades” ligando a citação ao processo de transformação da cabine telefónica num equipamento “ao serviço da cultura e da educação”.

Para Sérgio Oliveira, a inauguração da Cabine de Leitura contribui para a valorização e revitalização do centro histórico da vila e vai ao encontro da vocação de Constância em projetos de cariz cultural.

Inauguração da cabine de leitura na praça Alexandre Herculano em Constância com a presença do Presidente Executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 5 de Dezembro de 2018

“Pólo de cultura e de turismo”

A Cabine de Leitura vai funcionar em duas modalidades, conforme nos explicou Nuno Ferreira, diretor da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill de Constância.

Uma é o acesso livre a centenas de livros em que as pessoas escolhem o livro que querem levar, registam os dados num caderno e depois devolvem dando baixa no mesmo caderno.

Outra modalidade é a troca, em que a pessoa traz um livro e escolhe outro para levar. Tudo isto funciona numa base de confiança e em sistema “self service”.

Compete aos funcionários do posto de turismo, situado ali perto, a responsabilidade de diariamente abrir e fechar a Cabine.

Constância | Cabine telefónica transformada em minibiblioteca de acesso livre (c/ fotos e vídeo)
Nuno Ferreira, Diretor da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill de Constância. Foto: mediotejo.net

Estão disponíveis livros em português, francês e inglês, justamente a pensar nos turistas. Da mesma forma, todas as informações disponíveis na cabine estão nestas três línguas.

Quanto à temática dos livros – todos eles doados -, a maior parte é de ficção mas também há sobre saúde e culinária, por exemplo. Como não podia deixar de ser, a literatura infantil e juvenil ocupa algumas prateleiras.

Nuno Ferreira corrobora as palavras do presidente da Câmara afirmando desejar que a Cabine “seja um pólo de cultura e também de turismo”.

À cerimónia inaugural sucedeu-se uma peça de teatro de marionetas, «João Pateta», pela Companhia Maurionetas.

As cabines de leitura têm sido dinamizadas pela Fundação PT, que reaproveita as antigas cabines telefónicas e estabelece parcerias com entidades autárquicas ou outras, para “a adaptação, colocação e dinamização destas minibibliotecas que têm por objetivo estreitar laços comunitários, exercitar a cidadania, fomentar a leitura, sobretudo junto dos mais novos, e promover o gosto pelos livros num espaço totalmente inesperado”, refere a autarquia, em comunicado.

As antigas cabines telefónicas são transformadas e em vez de terem um telefone disponibilizam no seu interior centenas de livros. Desta forma “nasce assim um novo e criativo espaço de leitura em áreas urbanas, com base num símbolo emblemático da empresa de telecomunicações mais antiga do país”.

Com a concretização do projeto Cabine de Leitura, a Câmara Municipal de Constância “prossegue as suas estratégias de promoção do livro e da leitura, utilizando uma infraestrutura tradicional – a cabine telefónica -, o que simultaneamente será mais um veículo para atrair diferentes públicos, à praça Alexandre Herculano, um local considerado como «o coração» do Centro Histórico da vila de Constância”, refere a nota de imprensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here