Constância | 95 anos depois, continua-se à descoberta da vida e obra de O’Neill

Foto: mediotejo.net

Foi entre a diversa biblioteca de O’Neill, no seu Espaço Memória do piso superior da Biblioteca Municipal de Constância, que se celebrou em mais um ano a vida e obra desta figura ilustre da Literatura portuguesa intimamente ligada à Vila Poema. Foram entregues os prémios do 6º Concurso Literário dedicado ao poeta e lembrada a sua essência, envoltos no seu espólio ainda em construção. 95 anos após o nascimento de Alexandre O’Neill, o objetivo é levá-lo cada vez mais longe e cativar os mais novos a partirem à sua descoberta.

“Memórias”, pela jovem Madalena de Avó Dias, “Além do Mais, a Luz”, de António Miguel Marques Ferreira e “Entre a Cortina e a Vidraça” de Luís Miguel Mendes Barbosa, foram os vencedores da 6ª edição do Concurso Literário Alexandre O’Neill, nas modalidades de poesia e conto, cujos prémios foram entregues no dia 19 de dezembro, data em que a Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill assinalou o 95º aniversário do poeta.

Numa tarde intimista, vivida no Espaço Memória dedicado a O’Neill, lembraram-se pormenores da sua obra, das suas vivências literárias e a sua relação com Constância. Ali, a revistar as altas prateleiras, “o espelho” da sua essência. Uma biblioteca diversa, onde constam periódicos, literatura estrangeira e literatura portuguesa, dos mais variados géneros.

PUB
Os vencedores da 6ª edição do Concurso Literário foram agraciados com diploma de participação e um cheque com a quantia de 300 euros para os adultos e 100 euros para a participante mais jovem. Tiveram ainda oportunidade de apresentar os seus trabalhos. Foto: mediotejo.net

“Era uma pessoa muito popular no meio literário e não só, era uma pessoa muito querida pela maioria das pessoas. Isso vê-se por grande parte dos livros terem dedicatórias ou anotações, ou por serem livros oferecidos (…) era uma pessoa que retribuía e apoiava muito os jovens poetas/escritores”, afirmou Nuno Ferreira, responsável pela Biblioteca Municipal de Constância e que guiou os presentes numa viagem-síntese pela vida e obra do poeta.

Os livros, ofertas e dedicatórias vêm assinados por inúmeros nomes da literatura portuguesa e estrangeira, onde constam nomes como José Saramago, Vinicius de Moraes, Luís de Sttau Monteiro, Ruy Belo, António Lobo Antunes, José Augusto Seabra, António Tabucchi, Jorge de Sena, António Mega Ferreira, Eugénio Lisboa, José Ortega y Gasset, Vasco Graça Moura, Fernando de Assis Pacheco, Mário Cesariny.

PUB

A coleção de Alexandre O’Neill tem mais importância no seu conjunto, uma vez que existem livros na sua composição que “não valem absolutamente nada” no mercado, avançou Nuno Ferreira, pelo o seu valor aumenta substancialmente estando integrados neste espólio.

Esta coleção tem exemplares tão diversos quanto os gostos literários do poeta, que lia monografias com o mesmo prazer que devorava livros na área da ciência ou da arte, e sendo reconhecido como “autodidata” com uma carreira na literatura, em particular na poesia, feita pela forma como viveu e contactou com escritores e críticos.

A coleção particular de O’Neill no Espaço Memória da Biblioteca de Constância deverá crescer nos próximos anos, pretendendo-se acrescentar os 1200 documentos que faltam tratar. Foto: mediotejo.net

“Teve uma vida muito variada, mas viveu pouco da literatura. Não lhe pagava as contas”, disse Nuno Ferreira, avançando-se de seguida para um beberete, onde se continuou a honrar a memória de O’Neill, lembrando curiosidades e consultando as obras ali expostas.

A Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill, detentora desde 1986 da biblioteca pessoal do escritor, celebra anualmente o aniversário do seu patrono.

Uma das formas de comemorar esta efeméride é a realização do Concurso Literário, que já vai na sexta edição. Este ano o número de participantes foi menor no escalão dos adolescentes, tendo apenas participado os mais novos do 1º ciclo. Os adultos mantiveram a participação.

“O objetivo do concurso é expandir mais e continuarmos a trabalhar para que mais pessoas possam concorrer, e tenham oportunidade de trabalhar o tema da ligação de O’Neill a Constância. A médio prazo pensamos fazer uma seleção dos melhores trabalhos, entre os premiados e menções honrosas, e eventualmente conseguir um publicação em livro destes trabalhos. É algo que temos que ter como objetivo, em parceria”, explicou Nuno Ferreira.

O responsável pela Biblioteca de Constância acrescentou ainda que se pretende reforçar o trabalho em rede, tentando difundir mais este concurso literário em termos regionais.

Nuno Ferreira lembrou ainda o projeto, iniciado em 2016, com protocolo com a Universidade Católica, com o objetivo de promover um espaço digital dedicado a Alexandre O’Neill. Trata de um website que “está a ser terminado” e que em breve “vai estar alojado na Biblioteca Nacional e vai ter uma ligação aos conteúdos da Biblioteca de Constância”.

Nuno Ferreira (à esquerda), responsável pela Biblioteca Municipal de Constância, assegura que o futuro reserva algumas iniciativas na senda da divulgação da vida e obra de O’Neill e no acréscimo deste espólio com objetos e materiais que se pretende que se juntem aos livros, periódicos, documentos e à última máquina da escrever usada pelo poeta exposta à entrada do Espaço Memória. Foto: mediotejo.net

“Tencionamos continuar a desenvolver estas parcerias. Também tivemos um contacto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que mostrou interesse em realizar uma exposição sobre Alexandre O’Neill e pediu-nos ajuda. Vamos fazê-lo dentro das nossas possibilidades. Está previsto para 2021 e a contrapartida que vamos pedir é que a exposição esteja no espaço do Museu de São Roque e depois estará em Constância”, adiantou, dando nota que se unirão esforços para que constem conteúdos da sua passagem pela Vila Poema e da sua biblioteca particular.

Quanto ao Espaço Memória, ainda há muito trabalho pela frente, com um levantamento feito em 2018 que aponta para 1200 documentos que faltam tratar. “A intenção é, com a maior brevidade possível, ter a coleção totalmente tratada e disponibilizada às pessoas. Depois, numa segunda fase, vamos começar a fazer outro tipo de projetos, possibilitando alguns documentos do próprio O’Neill e reforçar a coleção com um conjunto de outros materiais e objetos que a família tenha. Tencionamos fazer nova aproximação à família, nomeadamente ao filho e à última companheira, porque achamos que faltam alguns pormenores que servem de complemento à identidade do poeta”, enunciou.

Também o portal da Rede de Bibliotecas do Concelho de Constância deverá integrar este projeto, com desenvolvimento de conteúdos que permitam aos alunos do concelho e da região “formação privilegiada sobre o Alexandre O’Neill e passagem pela sua coleção particular”.

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here