Chamusca | Presidente da Câmara reafirma importância de nova ponte e prolongamento do IC3

Cerca de 10 mil viaturas passam por dia pela ponte da Chamusca (Foto: mediotejo.net)

O presidente da Câmara da Chamusca, Paulo Queimado (PS), defende que o projeto do IC3, que prevê o prolongamento da via ligando Vila Nova da Barquinha a Almeirim com uma nova travessia na zona da Chamusca, tem de ser reclassificado uma vez que atualmente é apenas considerado de interesse local.

PUB

“A Chamusca precisa de uma ponte que resolva todos os nossos problemas de travessia nesta zona. Na Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo estamos a definir investimentos estratégicos superiores a 75 milhões de euros e defendo que é importante falarmos de questões estruturantes, em vez de continuamos a olhar tudo em pequenino”, afirmou o presidente da Câmara da Chamusca na reunião do executivo do dia 2 de outubro.

Ponte da Chamusca, que liga à Golegã, é muito estreita e não permite a passagem de dois veículos pesados em simultâneo. (Foto: mediotejo.net)

Considerando o IC3 como uma via fundamental para o desenvolvimento da região e do País, apelou a todos os responsáveis que não se pense em “micro” mas a uma escala maior. “Estamos a fazer um Plano Estratégico para a região e não podemos olhar apenas para coisas mais «miudinhas», sem definirmos com clareza aquelas que são as grandes linhas orientadoras”, frisou Paulo Queimado.

Já na anterior reunião, a 18 de setembro, o presidente da Câmara reconheceu a importância de outras travessias em Abrantes e Constância, mas considera fundamental para o desenvolvimento da região e do país o “fecho” do IC3.

Paulo Queimado, na reunião do dia 2, mostrou-se disponível para reunir com todos os deputados eleitos pelo distrito, de todos os partidos com representação parlamentar, para debater as questões dos constrangimentos na ponte da Chamusca, denominada João Joaquim Isidro dos Reis, e das más acessibilidades existentes no concelho e na região.

PUB

Em resposta a uma interpelação do vereador Rui Rufino, eleito pela Coligação “Chamusca é o Meu Partido”(PPD/PSD.CDS-PP.MPT), pediu aos vereadores da oposição que possam comunicar aos seus partidos – e respetivos deputados – esta abertura do município da Chamusca para se encontrar uma posição concertada sobre o tema das acessibilidades.

Não só sobre o tão esperado prolongamento do IC3, como variante à passagem de veículos pesados no interior da vila da Chamusca, mas também sobre a questão da nova ponte sobre o Rio Tejo, que nos últimos dias voltou a ser tema de debate por causa de posições políticas emanadas de outros municípios que reclamam a construção da nova ponte, nomeadamente, Abrantes e Constância.

Ponte da Chamusca. Foto: mediotejo.net

Paulo Queimado afirmou-se “solidário” com estes concelhos porque sabe “dos constrangimentos que também sofrem com aquele tipo de pontes” e disse que esta questão já foi abordada com os deputados, no âmbito do planeamento dos investimentos a realizar na região.

Existe, aliás, uma posição conjunta e unânime de todos os deputados do PS, BE, PCP, CDS e PSD, representados na Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, a recomendar o fecho do traçado do IC3 e a construção da nova ponte entre a Chamusca e a Golegã.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here