Alcanena | Maus cheiros regressaram “depois das festas e das eleições”

Moradores queixavam-se ontem do problema dos maus cheiros. Foto: mediotejo.net

Mais uma vez os maus cheiros invadiram a vila de Alcanena e arredores chegando até a algumas localidades do concelho de Santarém, como Vaqueiros ou Pernes. Na noite de 10 para 11 de outubro, o problema foi de tal forma grave que suscitou uma onda de críticas nas redes sociais, e era o único motivo de conversa nos cafés e nos bancos do jardim.

PUB

A população mostra-se farta dos cheiros nauseabundos que provêm da ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais, nos arredores da vila. E os moradores estão preocupados, sobretudo, com as eventuais consequências negativas do problema para a saúde. Há quem se queixe de irritações na pele e nos olhos, de dores de cabeça e até de vómitos.

Como o problema se agrava durante a noite, há quem não consiga dormir, tal é a intensidade do cheiro que entra pelas casas e impregna a roupa. “Cola-se até à pele”, dizem.

“Esta noite foi demais”, desabafa Manuela Oliveira no facebook, comentando uma crítica de uma amiga que se queixa de não ter conseguido dormir.

“As pessoas não podem dormir de noite”, “ontem nem se podia abrir uma janela”, “isto está cada vez está pior”, foram alguns dos desabafos que registámos nas ruas da vila.

PUB

Problema dos maus cheiros regressa a Alcanena

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Vários moradores referem a coincidência de não haver maus cheiros quando há festas ou durante o período eleitoral, como foi o caso do passado fim de semana.

Outro aspeto que realçam é o facto de a própria Presidente da Câmara residir na vila e, naturalmente, também sofrer na pele com o problema, tal como alguns empresários do setor de curtumes. A Câmara diz “compreender a preocupação e descontentamento da população em relação aos maus cheiros de origem desconhecida”, e tem vindo a “empenhar-se na avaliação e diligências possíveis para a mais urgente resolução”.

A alteração definitiva em julho deste ano da entidade responsável pelo saneamento – deixou de ser a AUSTRA para passar a ser a empresa municipal AQUANENA, presidida pela autarca Fernanda Asseiceira – é também tema de conversa na vila, com várias teorias de conspiração. Os industriais dos cortumes estavam envolvidos na gestão da AUSTRA e não ficaram satisfeitos com a decisão da câmara. O município acusa os industriais de estarem a descarregar águas residuais com cargas anormalmente elevadas de poluentes.

Problema dos maus cheiros regressa a Alcanena

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 11 de outubro de 2019

A “Situação Ambiental no Concelho” é o tema de uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal marcada para dia 14 de outubro, segunda-feira, pelas 20 horas, no auditório dos Paços do Concelho, por requerimento dos eleitos da CDU e da coligação Cidadãos por Alcanena.

Conta-se com a presença de representantes da AQUANENA, Empresa Municipal de Águas e Saneamento, as direções da Associação Portuguesa dos Industriais de Curtumes (APIC) e da Associação de Utilizadores do Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Alcanena (AUSTRA) e representantes de Agência Portuguesa do Ambiente (APA), GNR/SEPNA e Autoridade de Saúde.

Sobre o problema dos maus cheiros, não foi possível ouvir em tempo útil a diretora geral da Aquanena, Isabel Pires, de quem contamos obter um esclarecimento durante a próxima semana.

A ETAR de Alcanena é apontada como a origem dos maus cheiros. Foto: mediotejo.net
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here