Abrantes | Viajar do centro histórico às margens do Tejo à boleia de um tuk tuk (C/VIDEO e FOTOS)

Nenhuma rua é demasiado estreita para um tuk tuk? Talvez em Lisboa, em Abrantes não é bem assim! Alberto faz marcha atrás mas não desiste de mostrar aos turistas as casas senhoriais, os edifícios históricos, os locais mais recônditos castelo acima, a identidade abrantina numa vontade de contar a própria narrativa. Para uns pode parecer uma aposta perdida, para outros claramente uma vantagem. A ideia é que o veículo de três rodas leve visitantes em passeio pelas ruelas do centro histórico e pelas ruas da cidade. Originários da Ásia, os tuk tuk são muito mais que veículos de transporte, oferecendo uma diferente e descontraída visão de um percurso. Um deles acaba de chegar a Abrantes. 

PUB

Os caminhos em terra batida na encosta do Castelo de Abrantes são tão enviesados que o tuk tuk reclama. Faz barulho e solavanca na irregularidade do chão, mas nenhum de nós dentro da mota parece incomodado. A viagem permite ver a beleza da paisagem circundante, com o rio Tejo a serpentear lá no fundo, como se fosse a primeira vez.

Para alguns será, e podemos imaginar com facilidade o arregalar dos olhos em observação do cruzamento da lezíria ribatejana, com o Alto Alentejo e a Beira Baixa mais a norte.

Alberto Lopes ao volante do tuk tuk da 4U Tours de Abrantes. Créditos. David Pereira

Revelar o potencial de Abrantes é a ideia do nosso driver  – é desta forma que se designam os motoristas de um tuk tuk. Alberto Lopes, proprietário da 4U Tours quer mostrar aos turistas as casas senhoriais, os edifícios com azulejos, os museus, o Tejo, os locais mais recônditos à volta do Castelo, a identidade abrantina pela janela de um tuk tuk que, olhando de trás para a frente, parece um carrinho ou uma mota, mas, na verdade, nem uma coisa, nem outra.

Aliada a esta viagem encontramos a vontade de contar a própria narrativa, revelar ao forasteiro a grandeza desta cidade ribatejana que adotou Alberto ainda criança, chegada de Mação.

PUB
O tuk tuk da 4U Tours de Abrantes. Créditos. David Pereira

No fundo, pretende-se que o produto turístico não mostre apenas locais mas conte histórias. “As pessoas têm de perceber a história da Igreja de São Vicente ou de Santa Maria do Castelo. Os sítios onde cirurgicamente vamos parar são locais com história. É importante que saibamos contá-la”, revela Alberto Lopes ao mediotejo.net.

Ligado ao turismo há mais de duas décadas, através do restaurante Santa Isabel que possui no centro histórico de Abrantes, percebeu que seria uma boa ideia importar uma mota de três rodas, originalmente asiática, e preencher uma lacuna proporcionando passeios em roteiros predefinidos, pelas zonas históricas da cidade e, quem sabe, até degustações de vinho ou produtos da região. As parcerias estão a ser trabalhadas para que em março de 2020 o tuk tuk esteja preparado para enfrentar o verão de forma mais quotidiana e não apenas ao fim de semana como acontece atualmente.

Neste momento, o nosso driver Alberto encontra-se “a recolher toda a informação para quando arrancarmos possamos vender um produtos de qualidade, vender bem Abrantes. Comercialmente não faz sentido começar agora, em época baixa, mas queremos durante estes meses, até março, andar por aí quase todos os fins-de-semana a mostrar o veículo, a perceber o tempo que demora em cada um dos percursos”, explica.

As paisagens que a viagem no tuk tuk de Abrantes proporciona. Créditos. David Pereira

Este projeto terá de passar “por uma ação concertada entre a empresa e a autarquia”. A 4U Tours também trabalha nesse sentido.” Quem vem à cidade não lhe interessa olhar só para os edifícios. Há locais que pela sua história merecem ser explicados e é essa informação que temos de recolher e memorizar para depois poder explicar”, detalha.

Os tuk tuk podem circular, como qualquer outro veículo autorizado pelas entidades competentes, nas vias públicas, com uma boa capacidade de contornar ruas estreitas e tortuosas. E sendo considerados empresas de animação turística são livres para estabelecer preços. No caso do tuk tuk da 4U Tours, empresa que também conta com cinco apartamentos de alojamento local, quatro em Abrantes e um em Constância, e ainda uma viatura topo de gama de sete lugares para transporte de turistas, oferece cinco percursos funcionais.

O primeiro de 15 minutos no centro da cidade com passagem pelos principais monumentos, custa 10 euros; o segundo de 30 minutos pelo centro da cidade e a sua história, por 20 euros; o terceiro de uma hora por 30 euros com passeio pelo centro da cidade e visita ao Castelo de Abrantes ou centro da cidade e visita às margens do Tejo; o quarto percurso, de hora e meia por 40 euros, leva o visitante ao centro da cidade, visita ao Castelo e margens do rio Tejo, e por último em duas horas por 50 euros o turista faz um ‘tour’ completo à cidade de Abrantes.

O tuk tuk da 4U Tours de Abrantes. Alberto Lopes. Créditos. David Pereira

“Estamos a procurar levar as pessoas também à Igreja da Misericórdia que, quanto a mim, a par do Castelo, é o grande monumento pelo interesse do seu definitório. Um trabalho moroso porque em Abrantes ainda nada está feito. Não temos pressa, queremos é fazer bem! Essencialmente ganhar consistência para apresentar um produto de qualidade”, garante Alberto.

Sendo certo que o tuk tuk é apenas o veículo mais visível de um projeto turístico mais alargado, pensado para o concelho de Abrantes. Por ser inovador, Alberto classifica-o de “máquina de marketing” nesta fase. “O turista chega a Abrantes e quer ir ao Museu de Tramagal, à praia fluvial de Aldeia do Mato e não sabe como. Queremos levar as pessoas a todos os sítios. Porque o turismo em Abrantes tem crescido imenso, a época que era alta até agosto passou a ser alta até setembro”, indica.

Aberto assume ter um “profundo e vasto” conhecimento daquilo que é o turismo na região de Abrantes, muito graças ao restaurante Santa Isabel e às parcerias estabelecidas com 12 unidades de alojamento do concelho.

“A afluência de pessoas não se limita ao centro histórico”, assegura, e acredita que em relação a Abrantes o incremento será “muito maior. Daí esta aposta porque o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte e o Museu Charters de Almeida com certeza irão atrair muito mais pessoas. A tendência é o turismo no interior crescer cada vez mais porque nos grandes centros está saturado. Creio que será um projeto com sucesso. Abrantes merece ter este tipo de ofertas, dá um sinal de modernidade e de que cá estamos à espera de receber bem as pessoas”, afirma, confiante.

Alberto Lopes ao volante do tuk tuk da 4U Tours de Abrantes. Créditos. David Pereira

A ideia passa também por levar os turistas a passear no Aquapolis, junto ao rio Tejo, mas Alberto lembra que “na zona pedonal está vedado o acesso a veículos motorizados”, logo ao tuk tuk, portanto “carece de licenciamento, de formalidades que queremos cumprir”.

Constrangimentos que prevê ultrapassar considerando “importante” que o acesso ao centro histórico seja permitido ao tuk tuk bem como a qualquer veículo promocional da cidade. “Devem ser desbloqueadas algumas ruas para fins turísticos, é muito importante que isso aconteça”, defende.

A partir de março, o veículo deverá estar estacionado em local de “muita visibilidade” (durante a época alta), ou seja, no Largo 1º de Maio, sítio privilegiado para o parqueamento diário ficando pela cidade “até que o bom tempo permita”.

Embora existam outros pontos interessantes como “o Castelo, onde poderá estar um outdoor […] todas estas vertentes estão a ser preparadas embora a vertente melhor preparada para nos dar trabalho serão os postos de alojamento, porque quem fica uma noite tem tempo para desfrutar de um passeio pela cidade, quem está de passagem não requisita os nossos serviços. Portanto, o nosso foco serão os locais de alojamento na expetativa que as estadias em Abrantes se tornem de maior duração, hoje a média é de uma noite. Mas quantos mais pontos de interesse turístico houver, quantos mais meios de atratividade e eventos, as estadias irão prolongar-se”.

As paisagens que a viagem no tuk tuk de Abrantes proporciona. Créditos. David Pereira

Alberto acredita nessa possibilidade porque “o turismo de natureza é muito melhor que o turismo de massas. A pureza do ar, da paisagem, a pureza das pessoas, a genuinidade da gastronomia e temos uma grande vontade de receber bem, um dos grandes segredos de captação de turistas no futuro”.

Alberto Lopes, tem 56 anos e desde os 18 anos que trabalha na área do Turismo “sendo certo que só recentemente foram criadas as condições para investir mais. O meu percurso leva-me a que nesta fase da minha vida me apeteça fazer coisas novas”.

Muito pelos seus dois filhos, a “hipótese de continuidade” a trabalhar na área do Turismo, ela em Lisboa e ele a estudar na Croácia. “Sabendo da sua vontade de regressarem a Abrantes e o quanto gostam desta área de atividade, daí que nasce a vontade de fazer coisas boas e porque amo Abrantes”, confessa.

Apesar de Abrantes ser conhecida como a cidade florida, nem tudo são rosas. Alberto Lopes considera que o Turismo tem sido “o parente pobre da autarquia. Espero que as coisas mudem. Por exemplo no Castelo não há sinalética a indicar a entrada. São coisas básicas que precisam de ser feitas. Vamos a concelhos muito mais pequenos, aqui à volta, há sinalética dos restaurantes, dos monumentos. Aqui está tudo por fazer!”, observa.

Alberto Lopes ao volante do tuk tuk da 4U Tours de Abrantes. Créditos. David Pereira

No entanto, tal situação pode ser observada “como uma vantagem” para no presente “fazer melhor”, dando como exemplo a albufeira de Castelo de Bode onde a margem de Abrantes é mais valorizada, sem os problemas de construção e saneamento básico existente no lado de Tomar.

“Abrantes tem um potencial fantástico e temos capacidade de fazer melhor! Mas não tem um festival de gastronomia, as Festas da Cidade não têm gastronomia representativa do concelho, na Estrada Nacional nº2 não há nada que assinale ser o centro. Mas acredito que seja possível. Acho que é o próximo passo da autarquia e a iniciativa privada irá atrás”, assegura.

Portanto, já não é preciso ir à Índia, nem sequer à capital ou ao Porto, para fazer uma viagem no versátil tuk tuk. Abrantes conta agora com um triciclo motorizado para apresentar a cidade a quem a visita, despertando já a curiosidade dos cidadãos locais e dos turistas.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here