Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)

Tânia Evaristo é a nova diretora executiva do Luna Hotel Turismo, em Abrantes, unidade hoteleira de quatro estrelas que reabriu em junho de 2017, depois de obras de modernização. Natural de Lisboa, Tânia Evaristo rende no cargo o abrantino António Onofre, que assume a direção de duas unidades hoteleiras do Grupo Luna no Alvor, Algarve.

PUB

A nova diretora do Hotel de Abrantes, com uma vasta experiência de trabalho nos quatro cantos do mundo, falou à imprensa no dia da sua apresentação, num cocktail com vista para a cidade, tendo destacado a excelente localização da unidade hoteleira e o trabalho de requalificação, e apontado como objetivo “continuar o bom trabalho que tem sido feito até agora e contribuir mais para a divulgação de Abrantes”.

Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)
Tânia Evaristo assumiu a gestão do Luna Hotel Turismo de Abrantes. Foto: mediotejo.net

António Onofre, na hora da despedida, disse que o trabalho desenvolvido “correspondeu” ao esperado, tendo feito notar que a oferta hoteleira “era uma lacuna que a cidade tinha e que a abertura do Hotel veio colmatar”.

Questionado sobre a sua experiência enquanto diretor do Hotel de Abrantes, António Onofre falou da visão profissional e também enquanto natural de Abrantes.

Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)
António Onofre segue para o Alvor e Tânia Evaristo assume a gestão do Hotel em Abrantes. Foto: mediotejo.net

“Terei de falar de duas formas: primeiro, como diretor do Hotel, foi uma satisfação ter estado aqui porque me permitiu ter trabalhado noutro ramo da hotelaria, mais pequeno, onde nunca tinha trabalhado. Depois, como abrantino, particularmente satisfeito porque a minha terra, finalmente (…) tem um sítio onde pode receber condignamente quem nos visita e porque este Hotel é meu filho duas vezes. Porque ajudei a criá-lo e porque é da minha terra”.

Em março deste ano, o Turismo de Portugal atribuiu ao Luna Hotel Turismo de Abrantes a classificação de hotel 4 estrelas, assinalando o nível de serviço e as comodidades que a unidade presta, estando localizada no centro da cidade e com vista privilegiada para o Vale do Tejo. O Hotel foi inaugurado em 1954, com projeto do arquiteto Vasco de Lacerda Marques.

Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)
Foto: mediotejo.net

A unidade hoteleira de Abrantes é composta por 44 quartos e suítes, decorados e mobilados sob o conceito clássico alusivo à época da sua inauguração, e tem um espaço dedicado a eventos, como casamentos, batizados, banquetes, conferências e congressos, piscina exterior, ginásio e jacuzzi, e serviço de bar e restaurante, que aposta num cardápio com a gastronomia tradicional da região.

Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)

Encerrado desde março de 2014, o Hotel Turismo de Abrantes renasceu depois de uma total reabilitação num investimento financeiro de cerca de 2,1 milhões de euros. O grupo Luna Hotels & Resorts assinou, em novembro de 2015, um contrato para gerir e explorar, durante 15 anos, o Hotel Turismo de Abrantes, com a Turismo Fundos, proprietária da unidade.

O Luna Hotel Turismo de Abrantes foi reinaugurado no dia 2 de junho de 2017, numa cerimónia que contou com presença do Primeiro-Ministro António Costa. Durante a cerimónia a presidente da CMA, Maria do Céu Albuquerque lembrou os “40 postos de trabalho diretos” gerados, assim como o “retorno que este investimento teve para a economia local, uma vez que foram contratadas empresas abrantinas para as várias áreas de intervenção”.

Abrantes | Tânia Evaristo assume gestão do Luna Hotel Turismo (C/VIDEO)
Luna Hotel Turismo de Abrantes foi reinaugurado por António Costa com um brinde de vinho rosé Casal da Coelheira. Foto: Fernando Baio/CM ABT

Luna Hotel TurismoAbrantes

Publicado por Tania Evaristo em Quinta-feira, 12 de Abril de 2018

COMPARTILHE
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.
Artigo anteriorMédio Tejo | Agenda 16 a 22 de abril
Próximo artigoTorres Novas | Vitórias e derrotas marcaram fim-de-semana desportivo da UDRZA

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here