Abrantes | Simplício e Valentim disputam liderança do PSD

Joaquim Simplício e Diogo Valentim disputam este sábado liderança do PSD

Joaquim Simplício, 58 anos, natural de Tramagal, e Diogo Valentim, 32 anos, natural de Souto, são candidatos à liderança da Comissão Política de Abrantes do Partido Social Democrata, nas eleições agendadas para este sábado, dia 13 de janeiro, no mesmo dia das eleições para o presidente nacional do partido, disputadas por Santana Lopes e Rui Rio. As eleições, consideram, vão ser renhidas e muito disputadas, e serão decididas por quem conseguir mobilizar mais apoiantes nas horas da votação [entre as 14:00 e as 20:00].

PUB

A candidatura de Diogo Valentim era conhecida desde o mês de outubro, pouco depois de conhecidos os maus resultados eleitorais das autárquicas para os social democratas abrantinos, onde só elegeram um vereador e conquistaram uma das 13 juntas de freguesia, tendo o candidato da lista B referido que os dois projetos candidatos “são distintos: um representa a continuidade e, o nosso, a rutura com o passado”.

A candidatura de Joaquim Simplício foi avançada publicamente no mês de dezembro, tendo declarado ao mediotejo.net que o facto de existirem duas candidaturas é “sinal de vitalidade” do partido.

As declarações dos candidatos coincidem também na “janela de oportunidade” pela importância do momento, tendo em conta que a presidente de Câmara, a socialista Maria do Céu Albuquerque, está a exercer o seu terceiro e último mandato, e coincidem ainda no apoio que ambos prestam a Rui Rio para a presidência do PSD nacional.

“É uma oportunidade grande para conquistar a Câmara de Abrantes [a saída da atual presidente em virtude da Lei de limitação de mandatos] em 2021 mas, primeiro, o PSD tem de constituir-se como alternativa credível”, disse Joaquim Simplício. “Julgo ter apoios suficientes para ganhar as eleições internas este sábado mas é muito importante o fator mobilização das pessoas para irem votar”, disse ainda o candidato da lista A, para quem as listas candidatas “têm um mesmo objetivo. As ideias é que diferem”.

Para Diogo Valentim, “só há um projeto diferente. Aquele que lidero”, afirmou, tendo referido que “a outra é uma lista de continuidade e representa o reflexo do projeto das autárquicas 2017 e que não foi nada favorável ao PSD”. Segundo o cabeça de lista da equipa B, a equipa que representa “personifica um projeto de rutura, com pessoas novas e com provas dadas. A partir deste sábado, dia 13, queremos começar a trabalhar para sermos alternativa à sucessão da atual presidente de Câmara e à maioria socialista que gere o concelho”, frisou.

“Dedicação e Empenho” é a máxima de Joaquim Simplício, candidato da Lista A, ao passo que “Mudar para Vencer” é o mote da candidatura de Diogo Valentim, candidato da lista B. Conheça as listas e as propostas de cada uma das candidaturas.

Abrantes | Simplício e Valentim disputam liderança do PSD

Joaquim Simplício, candidato da Lista A 

Slogan – “DEDICAÇÃO e EMPENHO”

“O meu nome é Joaquim Simplício, tenho 58 anos, sou solicitador e apresento-me a estas eleições para Comissão Política de Secção (CPS) do Partido Social Democrata de Abrantes acompanhado de uma equipa composta por pessoas competentes e com experiência política e partidária. Pessoas capazes de aprender com os triunfos e, acima de tudo, com os erros. Pessoas que revelam a humildade de querer fazer bem, com empenho e dedicação, e aceitam que ninguém é perfeito!

Sou membro do secretariado distrital dos TSD (Trabalhadores Sociais Democratas) de Santarém, participei em várias CPS, fui presidente da Assembleia de Freguesia de São João e candidato a presidente da Junta de Freguesia de Tramagal.

A minha candidatura e da lista que encabeço (Lista A) define dois âmbitos de prioridades: um externo e um interno. Queremos promover a união interna sem discriminar opções políticas do passado, aceitando a colaboração de quem quer efectivamente contribuir para o engrandecimento do PSD de Abrantes, com sentido de serviço ao munícipe.

Iremos promover a captação de novos militantes e robustecer o peso da nossa Secção de Abrantes nas estruturas internas do partido, utilizando e envigorando a voz audível que foi reconquistada nestes últimos anos.

Finalmente, queremos que as nossas decisões sejam conciliadas com os nossos eleitos e candidatos autárquicos, estabelecendo uma dinâmica de trabalho proveitosa com todos aqueles que aceitaram dar a cara pelo PSD de Abrantes. Somos gratos!

Externamente, estando o PSD de Abrantes na liderança da oposição, sem prejuízo de outros assuntos de maior ou menor importância para o Concelho, a nossa acção política será especialmente acutilante em relação às seguintes matérias:

1. Protecção e aproveitamento positivo do Rio Tejo;

2. Desenvolvimento harmónico de todo o Concelho e coesão territorial;

3. Coesão e inclusão sociais, bem como o combate a todas as formas de pobreza e

precariedade;

4. Políticas de natalidade e emprego;

5. Políticas de captação de investimento para o Município de Abrantes;

6. Rigor, zelo e transparência no escrutínio da actividade camarária, das juntas de freguesia

e das assembleias de freguesia e municipal;

7. Defesa dos princípios e valores da social-democracia e, principalmente, da democracia pluralista.

Citando Pablo Neruda: “Você é livre para escolher, mas é prisioneiro das consequências.”

LISTA A – COMISSÃO POLÍTICA DE SECÇÃO DE ABRANTES

Presidente – Joaquim Manuel Gomes Leitão Simplício – Militante nº 73116

Vice-Presidente – Maria Fernanda Pires Aparício – Militante nº 79853

Vice-Presidente – Fernando Manuel Ribeiro Teimão – Militante nº 23862

Secretário Geral – Maria Filomena Tristão Vieira – Militante nº 226142

Tesoureira – Tânia Filipa Dias Branco – Militante nº 228750

Vogal – José Maria Azevedo de Carvalho – Militante nº 70619

Vogal – João Paulo Mendes dos Santos Bioucas – Militante nº 239776

Vogal – Carlos Manuel de Jesus Tavares Simões – Militante nº 239773

Vogal – Luís Miguel Rosa Marques Agostinho – Militante nº 239777

Vogal – Joaquim Armando de Sousa Lopes – Militante nº 10175

Vogal – Milene Meireles Amaro – Militante nº 220841

Vogal – Bernardo Manuel Capelo Fernandes – Militante nº 226827

Suplente – Inês Sofia Veiga dos Santos – Militante nº 239775

Suplente – Carlos Manuel de Melo Dias Ferreira – Militante nº 67210

 

MESA DO PLENÁRIO DE SECÇÃO DE ABRANTES

Presidente – Marisa Isabel Moura Ruivo – Militante nº 47778

Vice-Presidente – João Miguel da Conceição Salvador – Militante nº 111785

Secretária – Paula Cristina Ribeiro da Costa Reis – Militante nº 224493

Suplente – André Silva Antunes – Militante nº 226826

 

DELEGADOS AO 37º CONGRESSO

1º – Joaquim Manuel Gomes Leitão Simplício – Militante nº 73116

2º – João Francisco Salvador Fernandes – Militante nº 224492

Suplente – José Maria Azevedo de Carvalho – Militante nº 70619

Abrantes | Simplício e Valentim disputam liderança do PSD

Diogo Valentim – Candidato da lista B

Slogan – “MUDAR PARA VENCER”

“Quem me conhece sabe bem que sou um homem apaixonado, emotivo e que vivo de forma intensa todos os projetos em que me envolvo.

Esta candidatura ao PSD de Abrantes é mais um desafio aliciante e exigente, para o qual, tanto eu como os companheiros que me acompanham, estaremos à altura.

Apresento uma equipa jovem mas experiente, apresento uma equipa competente e com provas dadas, apresento uma equipa empenhada e determinada em devolver o PSD à população do nosso concelho, pois Abrantes e a população assim o exigem!

Companheiros, não devemos esquecer o passado, devemos sim, aprender com os erros cometidos e valorizar aqueles que de forma genuína e desinteressada colocaram os interesses do partido e do nosso concelho acima das ambições pessoais!

Quanto ao futuro, não queremos seguir a velha máxima de “dividir para reinar”, queremos sim separar o “trigo do joio” para podermos ter os mais bem preparados, os mais competentes, os mais determinados e aqueles que de forma altruísta pretendem simplesmente o bem-estar daqueles que possam vir a representar!

Companheiros, lamento, que aqueles que foram os responsáveis pela desgraça do partido e pelo pior resultado eleitoral autárquico de sempre, se escondam agora atrás da lista do meu “opositor”, utilizando e instrumentalizando de forma clara a candidatura.

É este tipo de pessoas, sem verticalidade, sem princípios, que se aproveitam dos outros, e que se eclipsam quando as coisas correm mal, que não devemos de acolher no nosso partido!

Não posso deixar de referir ainda, que a outra candidatura, é o espelho da continuidade de um projeto falhado e “liderado” pela CPS em exercício, contudo, seria injusto da minha parte não reconhecer que existem pessoas com valor e que poderão efetivamente contribuir para a melhoria do nível politico da estrutura do PSD Abrantes.

Afirmo que em caso de vitória estaremos disponíveis para receber aqueles que vierem por bem e quero realçar que independentemente dos resultados que possam decorrer do ato eleitoral do dia 13 de janeiro, espero acima de tudo, que o PSD de Abrantes saia reforçado e que seja capaz de combater o verdadeiro adversário que é o Partido Socialista!

Esta candidatura tem bem definida a sua estratégia para que o PSD possa voltar a ser uma alternativa credível, capaz de liderar os desígnios do nosso concelho, por isso, neste primeiro momento apresentaremos as linhas orientadoras numa vertente interna, que após a sua execução produzirão os estudos necessários com propostas concretas e elaboradas para melhorar a qualidade de vida dos munícipes, para resolver os seus problemas e para permitir a criação de conceitos inovadores para no nosso concelho.

Amigos e companheiros, dia 13 de janeiro espero contar com o vosso apoio, e espero que votem de forma consciente e responsável na Lista B, tendo a perceção que não está em causa apenas o futuro do PSD Abrantes, mas acima de tudo, o futuro do nosso concelho!”

 

A EQUIPA CANDIDATA À COMISSÃO POLÍTICA DE SECÇÃO

Presidente: Diogo Valentim

Vice-Presidente: António Lopes

Vice-Presidente: Ana Dias

Secretario Geral: José Oliveira

Tesoureira: Susana Martins

Vogal: Manuel Oliveira

Vogal: João Mendes

Vogal: Rafaela Pedro

Vogal: Alexandre Traquina

 

A EQUIPA CANDIDATA À ASSEMBLEIA DE SECÇÃO

Presidente: José Miguel Vitorino

Vice-Presidente: Elza Vitório

Secretária: Ana Rico

 

GRANDES ÁREAS DE ACTUAÇÃO

I. REFORÇAR A DEMOCRACIA E APROXIMAR OS CIDADÃOS DO PODER POLÍTICO

II. FORTALECER O COMPROMISSO COM O PODER POLÍTICO

III. AUMENTAR A TRANSPARÊNCIA E MELHORAR A INFORMAÇÃO

IV. ESTIMULAR A REFLEXÃO E A PRODUÇÃO POLÍTICA

V. APOSTAR NOS JOVENS ENQUANTO AGENTES DO FUTURO

VI. DEFENDER A VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO E DO PATRIMÓNIO

VII. APOSTAR NA ÁREA SOCIAL COMO FACTOR DE INCLUSÃO

 

MEDIDAS CONCRETAS ACTUAÇÃO

I. REFORÇAR A DEMOCRACIA E APROXIMAR OS CIDADÃOS DO PODER POLÍTICO

•             Promover, na medida do possível, Assembleias de Secção temáticas e abertas ao público;

•             Instituir e consolidar mecanismos de participação ativa dos cidadãos (militantes ou não) na atividade política da concelhia;

•             Realizar reuniões de comissão política descentralizadas e seguidas de uma visita às freguesias convidando sempre alguém que seja conhecedor da realidade da freguesia que se visita;

•             Criar o Roteiro das Freguesias com visitas, anuais, a diversas instituições nas treze freguesias, com o intuito de sermos identificados como uma força política próxima das pessoas, das instituições e dos seus problemas;

 

II. FORTALECER O COMPROMISSO COM O PODER POLÍTICO

•             Assegurar a presença da Comissão Política de Secção nas Reuniões da Câmara Municipal, na Assembleia Municipal, nas Comissões Municipais e nas Assembleias de Freguesia, intervindo sempre que necessário e adequado;

•             Acompanhar e auxiliar os eleitos locais no desempenho das suas funções, procurado, ativamente, contribuir para o trabalho político a realizar;

•             Organizar, pelo menos, uma reunião/visita anual com os deputados eleitos pelo PSD no círculo eleitoral de Santarém com o intuito de sensibilizar o poder central para as questões relevantes do concelho;

•             Reunir com o executivo camarário sempre que for necessário de forma a tentar resolver problemas existentes no nosso concelho;

•             Convidar o próximo Presidente da Comissão Nacional do PSD para uma visita ao nosso concelho;

III. AUMENTAR A TRANSPARÊNCIA E MELHORAR A INFORMAÇÃO

•             Criar uma Newsletter Semestral para os militantes com informação sobre a atividade partidária e política no concelho;

•             Criar e manter atualizada uma base de dados dos militantes da concelhia, de forma a criar condições para a divulgação das atividades/ações/intenções da CPS e dos eleitos locais junto dos militantes e simpatizantes;

•             Criar um novo site e uma página de Youtube de forma a aumentar a visibilidade da atividade política da concelhia;

•             Promover uma divulgação atempada da atividade política nas páginas oficiais da estrutura;

IV. ESTIMULAR A REFLEXÃO E A PRODUÇÃO POLÍTICA

•             Promover conferências, debates e outras iniciativas similares de forma a potenciar reflexão sobre temas importantes para o concelho;

•             Criar um Gabinete de Estudos para a produção de moções, propostas e outra documentação relevante que sustente a atividade política;

•             Criar um Conselho Consultivo com pessoas com provas dadas na sociedade civil com experiência profissional e política;

•             Criar grupo de trabalho com membros especializados em marketing, para conceber estratégias de marketing local, com o intuito de criar valor acrescentado no nosso concelho;

•             Promover reuniões anuais, com os presidentes das Câmaras Municipais do PSD de Sardoal e Mação de forma a tentarmos criar sinergias para desenvolver projetos que sejam comuns a ambos os territórios;

•             Promover reuniões com a Associação de comerciantes de Abrantes;

 

V. APOSTAR NOS JOVENS ENQUANTO AGENTES DO FUTURO

•             Promover, em parceria com as Escolas, iniciativas de formação para a cidadania, nomeadamente sobre temas como os direitos e deveres dos cidadãos e o funcionamento do sistema político português;

•             Acompanhar a política e o funcionamento do Conselho Municipal de Educação e Conselho Municipal da Juventude de Abrantes;

•             Discutir o tema do êxodo rural dos jovens e propor um conjunto de medidas para a sua fixação no concelho;

•             Agendar reuniões descentralizadas com associações juvenis de forma a conhecer os seus atuais desafios e projetos para o futuro;

•             Promover debates entre diversos atores de desenvolvimento local, nomeadamente empresários, representantes do Ensino Superior e Profissional do nosso distrito, de forma a encontrar mecanismos que permitam a fixação dos jovens no nosso concelho;

•             Realização de uma tertúlia com jovens abrantinos que se destaquem nas áreas do desporto, da cultura, da intervenção social, etc., como forma de reconhecimento do seu valor e de agradecimento pela promoção que fazem de Abrantes no contexto nacional e internacional;

 

VI. DEFENDER A VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO E DO PATRIMÓNIO

•             Acompanhar junto das entidades responsáveis a monitorização da poluição no Rio Tejo e participar de forma ativa na resolução dos seus problemas;

•             Realizar um fórum sobre planeamento do território no âmbito do ordenamento florestal convidado, para o efeito, associações florestais, engenheiros florestais e outros parceiros com quem possamos refletir sobre o tema;

•             Propor a diminuição das portagens na A23, valorizando assim Abrantes como uma boa cidade para as famílias e para as empresas;

•             Valorizar o património histórico e cultural de Abrantes de forma a mantermos a nossa identidade enquanto cidade;

•             Estudar a possibilidade da criação de áreas de reabilitação urbana nas freguesias para que estas sejam abrangidas por mais apoios específicos, sejam eles fiscais ou administrativos;

•             Criar o Roteiro das Empresas com o intuito de perceber quais as dificuldades e encontrar pontos positivos para melhorar o papel dos agentes locais na promoção da iniciativa privada;

VII. APOSTAR NA ÁREA SOCIAL COMO FACTOR DE INCLUSÃO

•             Agendar reuniões com as entidades de cariz social com o objetivo de identificar os problemas deste sector de forma a tentar perceber de que forma a administração local/central podem ajudar a ultrapassar os problemas identificados;

•             Organização de um evento solidário cujas receitas revertam para entidades ou causas de índole social no nosso concelho;

•             Criar e institucionalizar mecanismos de apoio à natalidade enquanto ferramenta de sustentabilidade e equilíbrio social;

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here