Abrantes | O evento mais doce do ano abriu portas no Largo 1º de Maio para ficar até domingo (c/VIDEO e FOTOS)

XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

A XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional já abriu as suas portas para mostrar as mais doces iguarias que Portugal oferece de norte a sul sem esquecer as ilhas. De sexta a domingo (de 25 a 27 de outubro) no recém renovado Largo 1º de Maio foi instalada uma tenda gigante abrigando o certame que celebra a doçaria conventual e tradicional portuguesa. Na tarde de domingo está confirmada a emissão em direto do programa da TVI, Somos Portugal.

PUB

A Feira Nacional de Doçaria Tradicional de Abrantes atingiu a “maioridade” e tanto o município, que organiza o certame, como a Tagus – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo, que co-organiza, sentem-se “uns pais muito babosos”.

As palavras são do o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Valamatos, que comentava a condição da Feira – completa 18 anos em 2019 -, garantindo ao mediotejo.net, durante a abertura oficial, ser este um momento feliz.

“Temos muita honra naquilo que estamos a fazer. Para além de defender os nossos produtos locais – a palha de Abrantes, as tigeladas, o folar – vamos buscar a doçaria e o melhor que se faz nos concelhos vizinhos, e vamos ainda mais longe trazendo para a Feira o melhor que se faz em Portugal quer no Continente quer na Madeira e nos Açores”, disse.

A Feira cumpre a XVIII edição “com maturidade para crescer como uma pessoa adulta, de forma robusta, com energia e com competências. O certame para além da doçaria tem depois um conjunto de atividades culturais, musicais, desportivas, recreativas e educativas neste três dias e queremos tornar esta Feira com maior potencial”, notou o autarca.

PUB

A Feira Nacional de Doçaria Tradicional ao longo dos anos já passou por vários espaços mas o Largo 1º de Maio é para o atual  executivo uma boa solução.

XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

“Parece-nos fantástico! O Largo foi requalificado e permite-nos esta abrangência embora causando alguns constrangimentos em termos de trânsito, mas este espaço é maravilhoso e este parece ser o local mais adequado para esta Feira”, disse Manuel Valamatos.

O presidente notou “a ligação com o mercado diário [onde acontecem os workshops] e com o posto de turismo e com todas as outras praças, faz-se uma excelente ligação. Temos o Vale da Fontinha onde as pessoas podem estacionar de forma fácil, portanto há aqui uma simbiose que encontrámos, uma excelente solução para esta Feira, sendo que no próximo ano poderemos aumentar quer a tenda quer outras tendas de apoio”, destacou.

No horizonte do executivo está também “encontrar um espaço físico fixo que nos permita lançar estes certames com maior capacidade e estamos a trabalhar nisso. São estes momentos que nos impulsionam e nos obrigam a pensar o que temos de fazer mais e melhor”, concluiu.

Nas novidades deste certame, surge o pastel do Curral – feito de castanha – vindo da Madeira, e o regresso dos sabores da Serra da Gardunha, refletido nas compotas e licores, a par das Tigeladas, da Palha de Abrantes, das castanhas doces e das broas fervidas e de outros doces transversais ao território nacional, como são o pão de deus, o toucinho-do-céu, barriga de monge e de freira, cavacas, suspiros, broas, entre outros, juntam-se bolachas, licores, mel e derivados, marmeladas e compotas.

XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

São 33 expositores, nove de Abrantes, onde podemos encontrar as malassadas e bolos levedos dos Açores; o pão-de-ló de Margaride e o de Ovar; as brisas do Tâmega e queijadinhas de S. Gonçalo de Amarante; os ovos-moles de Aveiro; os pastéis de Tentúgal; as cornucópias de Alcobaça; os pastéis de feijão e o bombom de figo negro de Torres Novas; os queijinhos do céu de Constância; os coscoréis da Sertã; os rebuçados de ovo do Alto Alentejo e como não poderia faltar o bolo fidalgo, o pão de rala e a sericaia entre outras iguarias do Alentejo.

À ementa estão assim associadas várias atividades, como oficinas de doçaria, animação infantil, exposições, música e práticas desportivas associadas à temática. Aprender receitas tradicionais ou a inovar, utilizando produtos da região são os objetivos das oficinas de doçaria, que este ano se realizam no último andar do Mercado Diário de Abrantes.

A primeira será este sábado, às 10h30, sobre as broas de batata-doce, da Pastelaria Palha de Abrantes. Pela tarde, às 16h00, a oficina será dada pela Escola EB 2,3/S de Mação, para confecionar pudim de presunto. E, no domingo, a formação será dinamizada pela EPDRA – Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, às 10h30.

Nos espetáculos musicais, esta edição será dedicada à música tradicional portuguesa e nessa medida a abertura oficial do certame, esta sexta-feira, esteve a cargo do grupo de Cavaquinhos do Orfeão de Abrantes. No sábado, dia 26, a noite será com os MONDA, um grupo que pegou nos tradicionais sons do Cante alentejano e harmonizou-os com as novas tendências musicais, aproximando-os das sonoridades universais da World Music. Na tarde de domingo está confirmada a emissão em direto do programa da TVI, Somos Portugal, a partir da Praça Barão da Batalha.

XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional, em Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Nas atividades desportivas, haverá a Caminhada Night Urban “Os Palhinhas”, dinamizada pelo COA – Clube de Orientação e Aventura, que este ano irá acontecer mais cedo, pelas 19h30 deste sábado, 26 de outubro. Já no dia seguinte, pela manhã, haverá mais uma edição do Passeio em BTT “Na rota da Palha de Abrantes”, pelos Branquinhos do Pedal.

Em torno da personagem Palhinhas, os trabalhos escolares chegaram dos dois agrupamentos escolares do concelho, envolvendo as crianças em cerca de 50 desenhos coloridos expostos em forma de mural.

O objetivo desta Feira passa por valorizar a rica doçaria tradicional e conventual de todo o País, colocando os doces locais junto de outros ícones portugueses. Esta receita tem-se afirmado a nível nacional e mexido com a atividade económica local, revelando-se uma oportunidade para atrair visitantes ao Centro Histórico de Abrantes.

A abertura oficial da XVIII Feira Tradicional de Doçaria esteve a cargo do presidente da Câmara Municipal que durante a habitual visita, que se seguiu, aos diversos expositores se fez acompanhar por vários convidados, incluindo os vereadores do município, alguns presidentes das Juntas de Freguesia do concelho, o presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges, o presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela, o comandante do Regimento de Apoio Militar de Emergência, Coronel de Infantaria Mário Álvares, e outras entidades civis e militares.

VEJA AQUI O VÍDEO DO DISCURSO DA ABERTURA OFICIAL:

Abrantes / XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional de Abrantes.

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 25 de outubro de 2019

 

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here