Abrantes | Litígio entre empresário e autarquia voltou à reunião de executivo

Litígio entre empresário e autarquia de Abrantes voltou à reunião de executivo. Foto: mediotejo.net

O litígio que está a ser dirimido em Tribunal entre o antigo empresário de construção civil, Jorge Ferreira Dias, e a autarquia de Abrantes voltou a ser debatido na reunião de executivo na terça-feira, dia em que o cidadão se apresentou na sessão para solicitar a realização de uma Assembleia Municipal (AM) extraordinária para que de discutisse o seu caso.

PUB

Na resposta à interpelação do cidadão Jorge Ferreira Dias, que usou da palavra no período destinado à intervenção do público, o presidente da CM Abrantes deu conta que também tem coisas a dizer (sobre este processo), e que vai aferir junto do Presidente da AM da pertinência de uma Assembleia Municipal extraordinária sobre o caso que este empresário tem em tribunal, em litígio com o município, tendo feito notar “que quem faz a gestão da Assembleia Municipal é o presidente” da mesma, António Gomes Mor.

Manuel Valamatos (PS) lembrou ao cidadão em causa e aos vereadores presentes que existe um processo em Tribunal e que o mesmo deve seguir os seus trâmites, referindo existir a expectativa de conhecer o desfecho do mesmo e a decisão do Tribunal, órgão que estará em vias de emitir uma decisão sobre o diferendo.

Jorge Dias, outrora um empresário de sucesso na construção civil em Abrantes, trava há mais de 15 anos lutas judiciais com a câmara, que culpa pela falência das suas empresas, e da qual reclama uma indemnização de seis milhões de euros.

“Se a CM tem uma posição e um entendimento sobre determinado assunto e Jorge Dias tem outro entendimento sobre a mesma situação, quem resolve este problema?”, questionou o presidente da Câmara Municipal. “É o tribunal”, notou, afirmando aguardar pelo desfecho do processo.

PUB

O autarca disse ainda que “a TVI aproveitou-se de forma injusta e incompetente do Jorge Ferreira Dias, assim como alguns políticos”, tendo afirmado que Jorge Dias “merece mais respeito”, referiu Manuel Valamatos, que lembrou ter dado uma entrevista de 40 minutos na qualidade de presidente de Câmara e que a TVI apenas publicou um minuto e meio, num trabalho que classificou de “muito mau”.

O presidente da CM Abrantes disse ainda que reuniu a semana passada “novamente” com Jorge Ferreira Dias e que há coisas mais antigas no processo litigioso entre o cidadão e a autarquia, mas que há outras mais recentes e que já envolvem o atual executivo e que serão expostas a “seu tempo”.

O vereador do BE, Armindo Silveira, por sua vez, pediu que sejam criadas as condições para a realização da reunião ou reuniões com os técnicos que se achar conveniente para que Jorge Dias possa expor ou esclarecer algumas situações que foram menos bem conseguidas, como solicitado no início da reunião pelo cidadão e empresário.

O Tribunal vai ter de tomar uma posição, mais cedo ou mais tarde, e depois a mesma decisão definirá trajetórias, disse o presidente da autarquia, Manuel Valamatos, tendo lembrado que há situações que remontam aos anos 80 e feito notar que tomou posse apenas há seis meses (cumpridos na segunda-feira).

O eleito do PSD, Rui Batista, diz que trazer este assunto para a praça pública só iria denegrir o nome da autarquia num processo que defende que a CM deve aguardar a decisão do tribunal sobre o processo que envolve a autarquia e Jorge Ferreira Dias. O vereador social democrata lembrou que a sua posição “é pública” sobre um caso “muito delicado e muito técnico”, defendendo o “aguardar pela decisão do tribunal”.

Uma reunião técnica com a presença dos vereadores pode ser exequível mas a realização de uma Assembleia Municipal Extraordinária não colheu no executivo, sendo que Manuel Valamatos reiterou que, todavia, transmitirá a ideia ao presidente da AM, António Gomes Mor, afirmando estar “disposto a reunir com Jorge Dias as vezes que for preciso”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here