Abrantes | Futuro de Cineteatro São Pedro “do lado” da ‘Iniciativas de Abrantes’, diz presidente da Câmara

A CM de Abrantes entregou as chaves do teatro São Pedro aos seus proprietários no final de janeiro de 2018. Foto: mediotejo.net

O Cineteatro São Pedro voltou a ser assunto na última reunião de Câmara Municipal de Abrantes. Os vereadores da oposição abordaram o encerramento do Cineteatro com o eleito do PSD a questionar o Executivo sobre a “atual situação”, ou seja, das negociações da Câmara Municipal com a proprietária do edifício, a sociedade comercial ‘Iniciativas de Abrantes’, questionando se o Município teria avançado com uma “contraproposta”.

PUB

O Cineteatro São Pedro, em Abrantes, voltou a ser assunto na última reunião de Câmara Municipal com o vereador do Partido Social Democrata (PSD), Rui Santos, a indicar que a Câmara Municipal havia reunido com a sociedade ‘Iniciativas de Abrantes’ avançando com uma “contraproposta” e questionando o Executivo camarário, esta terça-feira, 25 de junho, se “já havia uma resposta” da parte da proprietária do imóvel.

Dirigindo-se ao presidente da Câmara Municipal de Abrantes, o eleito do PSD lembrou afirmações de Manuel Valamatos (PS) proferidas num passado recente em que o autarca disse que Abrantes “tem salas para dar resposta às atividades culturais”. Rui Santos concorda. “É evidente que temos! Mas temos de ter mais que isso. Temos de ser ambiciosos e ter uma sala digna, chame-lhe centro cultural, chame-lhe aquilo que quiser”, disse.

Manuel Valamatos confirma a reunião com a sociedade Iniciativas de Abrantes mas nega a existência de uma contraproposta. “Fizemos um alinhamento, um pensamento de estratégia, de possibilidades de podermos vir a negociar”, esclareceu o presidente da Câmara, acrescentando sentir da parte da proprietária do Cineteatro São Pedro e dos seus representantes “empenho” na procura de uma solução.

“Todos têm vontade de resolver o assunto porque seria difícil, ou mau para todos” o contrário, afirmou.

PUB
Reunião de Câmara Municipal de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Contudo, “se as Iniciativas de Abrantes tiverem outro entendimento teremos de partir para um novo projeto e nesse dia não voltamos atrás porque não andamos a gastar dinheiro em projetos para depois arrepiar caminho seis meses depois. Não!”, garantiu o presidente, admitindo que Abrantes “precisa de um espaço cultural, de promoção da cultura” para os abrantinos e para os visitantes.

Ainda assim, manifestou acreditar que, “se for de forma equilibrada e com bom senso, podemos todos agarrar o Cineteatro São Pedro, que neste momento não reúne condições para receber qualquer espetáculo e é preciso um investimento financeiro muito significativo”, disse, assegurando que a decisão, isto é, “a bola está do lado” da sociedade proprietária do Cineteatro.

Por seu lado, o vereador do Bloco de Esquerda, Armindo Silveira, manifestou desacordo com a posição do presidente da Câmara Municipal que considera, segundo declarou, que o assunto “não deveria ser politizado”.

Cineteatro de Alferrarede. Foto: mediotejo.net

Rui Santos ainda questionou o Executivo sobre o Cineteatro de Alferrarede. “Já se começou a desembrulhar a questão dos herdeiros?”, interrogou o vereador, lembrando que o processo dura “há quase um ano”.

Relativamente a esse equipamento o presidente lembrou “os muitos herdeiros” do imóvel e disse que “ninguém conseguia pegar no processo. É um mundo incrível de complexidade porventura não chegaremos ao fim”, observou.

No entanto, considerou, é “um imóvel com muito interesse numa zona que está envolvida na ARU para Alferrarede e tem um potencial enorme de requalificação desde que seja vendido a preços sustentáveis porque precisa de muitos milhares de euros […] estas coisas precisam de bom senso”, vincou, sublinhando “a defesa do interesse público”.

O Cineteatro São Pedro está de portas fechadas há mais de um ano. Não é a primeira vez mas aquela que já foi considerada “a melhor sala de espetáculos da região”, única no concelho de Abrantes, faz parte da história da cidade. A data de reabertura permanece, no entanto, uma miragem enquanto o edifício encerra um futuro incerto. As negociações entre a sociedade Iniciativas de Abrantes, proprietária do imóvel, e a Câmara Municipal prosseguem com os sócios a manifestarem interesse em vender e o Município a manifestar interesse em comprar. O desentendimento é uma questão de números.

O espaço cultural está encerrado desde o dia 30 de janeiro de 2018, quando a sociedade Iniciativas de Abrantes Lda. decidiu assumir a gestão do imóvel quase duas décadas após cedência à Câmara Municipal de Abrantes que tinha a gestão estabelecida através de um contrato de comodato. O contrato havia sido celebrado por um período de 19 anos, com gestão municipal do imóvel, visando a reabilitação do teatro.

Em 1999 a Câmara assumiu, em parceria com o governo central, a reabilitação do imóvel que, segundo explicou ao mediotejo.net o vereador Luís Dias, “estava em estado de ruína”.

A sociedade Iniciativas de Abrantes, Lda, reunida em Assembleia Geral de 28 de janeiro de 2018, recusou as propostas apresentadas pela autarquia. O espaço tem estado encerrado desde então, com as duas entidades em negociação mas até agora sem acordo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here