Abrantes | Empresas “mais competitivas” geram aumento de 25% em exportações

Foto: mediotejo.net

Abrantes é líder no ranking da região do Médio Tejo quanto ao valor de exportações, e nessa linha a autarca Maria do Céu Albuquerque frisou esta manhã, na última reunião de executivo do mandato em que se aprovou a venda/permuta de mais 5 lotes no parque industrial, que as empresas “estão mais competitivas” e a “colocar os seus produtos lá fora”. A autarca congratulou-se ainda com os cerca de 11 lotes vendidos nas zonas industriais do concelho nos últimos 4 anos.

PUB

Constavam na ordem do dia a “Desistência da aquisição dos lotes I15, I16, I17 e I18, no Parque Industrial de Abrantes, por parte da IMPLASYSTEM – IMPLANTOLOGY SYSTEMS”, que aguardando aprovação de candidatura se fixará apenas no lote I15.

Mas, por outro lado, esta desistência veio permitir que a candidatura apresentada pela Treciver – Gestão Ambiental, S.A., para aquisição do lote I16 (valor de 1250 euros), situado no Parque Industrial de Abrantes Zona Norte fosse aprovada, bem como a proposta de permuta dos lotes I40 e I41 pelos lotes I17 e I18 do Parque Industrial, propriedade de Treciver – Gestão Ambiental S.A., cuja proposta minuta de escritura de compra e venda e documento complementar foram aprovador por unanimidade, permitindo que a empresa se expanda de forma contínua. “O interesse da Treciver sempre foi adquirir três lotes [contíguos]”, notou Maria do Céu Albuquerque explicando o motivo da permuta.

Também a empresa Abrancongelados – Produtos Alimentares Lda., viu ser aprovada por unanimidade a minuta de escritura de compra e venda e documento complementar, sendo que pretente adquirir mais lotes para expandir o seu negócio [lotes I38 e I40], segundo a autarca.

No final da sessão, a presidente da Câmara Municipal fez um balanço positivo da evolução empresarial do concelho. “Congratulamo-nos com isso mesmo, esta alienação de lotes vem juntar-se aos 11 que foram vendidos este mandato, nas nossas zonas industriais para fazer face às necessidades dos nossos promotores, dos nossos investidores”, afirmou, fazendo ainda notar que há igualmente motivo de congratulação “com o facto de Abrantes no último ano ter aumentado em 25% as suas exportações”.

PUB

“As nossas empresas estão mais competitivas, estão a colocar os seus produtos lá fora, no valor de 163 milhões de euros, somos o concelho mais exportador da nossa região”, salientou.

A Câmara entende-se como “parceiro dos investidores”, nomeadamente por “criar as melhores condições para a dinamização e expansão dos negócios”, dinamizando as zonas industriais, o Parque tecnológico do Vale do Tejo e também o centro histórico, como foi enumerando Maria do Céu Albuquerque.

A autarca recordou também “o grande investimento que foi feito para recuperar o Hotel Turismo, que neste momento apresenta uma taxa de ocupação superior a 40%, que criou mais de 40 postos de trabalho, e que foi graças ao incentivo que a CMA lançou nomeadamente para alienar o terreno contíguo onde estavam instaladas as antigas piscinas, que hoje estão praticamente recuperadas e devolvidas, não só  a quem utiliza aquela hotel, mas também a toda a população abrantina, estamos a fazer de um investimento de 1.200,00.00 euros, numa obra de recuperação que ficou inteiramente nas empresas locais”.

Segundo a líder do executivo municipal abrantino, também recandidata às próximas eleições autárquicas, “é isto que se pretende de um executivo, que seja parceiro, regulador e incentivador da atividade económica, geradora de riqueza e de criação de postos de trabalho”.

Em balanço sobre o programa Abrantes INVEST, a autarca mostrou-se otimista, referindo que em apenas 6 meses já se notam resultados, nomeadamente na fixação de jovens qualificados. “Estão a usufruir daquilo que são as mais valias da sistematização deste programa. O AbrantesINVEST tem medidas que já vínhamos a desenvolver há alguns anos a esta parte, e tem novas medidas, nomeadamente para criar postos de trabalho qualificados, já dois foram criados no Parque Tecnológico, e neste momento estão mais três em candidaturas para serem aprovadas, e congratulamo-nos com a fixação de quadros jovens que são importantíssimos. E estamos a falar de menos de seis meses de desenvolvimento deste projeto”, concluiu.

Segundo dados do INE, em 2016, nos 13 concelhos do Médio Tejo as importações aumentaram 51.989.133 euros enquanto as exportações aumentaram 25.577.876 euros. Apesar destes números, as empresas da região exportam mais 86.320.602 euros em bens do que importam.

Abrantes continua a liderar as exportações, seguido de Torres Novas e Constância e tal deve-se ao funcionamento nestes concelhos de grandes empresas como a Mitsubishi no Tramagal (Abrantes), a Renova em Torres Novas e a Caima em Constância.

Médio Tejo | Comércio internacional aumenta na região, Abrantes lidera exportações

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here