Abrantes | Comissão de Ambiente e autarcas preocupados com relação qualidade/quantidade das águas do Tejo (C/VIDEO)

Comissão de Ambiente e autarcas preocupados com Almaraz e relação qualidade/quantidade das águas do Tejo. Foto: mediotejo.net

O presidente da Comissão parlamentar de Ambiente e autarcas do Médio Tejo manifestaram-se muito preocupados com a relação da qualidade com a quantidade de água no Tejo, a par da eutrofização da água da albufeira de Cedillo, em Espanha, tendo sido defendido que o Estado português tem que renegociar a convenção de albufeira.

PUB

A questão da melhoria da qualidade da água do rio Tejo foi destacada esta segunda-feira pela positiva por todos os presentes na reunião de trabalho que decorreu no Parque Tejo, em Abrantes, tendo o presidente da Câmara local, Manuel Valamatos, colocado a tónica na dupla questão da relação direta entre quantidade e qualidade das águas.

“Temos dois assuntos centrais a todo o tempo: a qualidade da água e a quantidade de água” no rio Tejo, disse o autarca, tendo feito notar que a qualidade tem vindo a “melhorar de forma significativa” e que a questão da quantidade (a falta de caudais regulares) é a que se apresenta como sendo a “mais preocupante”, estando interligadas.

 

A questão da melhoria da qualidade da água do rio Tejo foi hoje destacada pela positiva por todos os presentes na reunião de trabalho que decorreu no Parque Tejo, em Abrantes. Foto: mediotejo.net

Estava dado o mote para uma reunião de trabalho que juntou os deputados dos vários partidos políticos que integram a Comissão Parlamentar de Ambiente, os autarcas de Abrantes, Constância, Mação, e Vila Nova da Barquinha, entidades como a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), associações de ambientalistas, cidadãos, entre outros, e onde várias questões foram abordadas, nomeadamente a questão da eutrofização do Tejo além fronteiras, colocando em causa a qualidade das águas que chegam a Portugal.

“Nós [comissão] temos uma grande preocupação relativamente ao que se está a passar em Espanha, com as notícias da eutrofização das águas de Cedillo. Aquilo que se passa (…) demonstra bem a má qualidade da água que nos chega de Espanha”, afirmou aos jornalistas Pedro Soares, no final da visita à Celtejo, fábrica de pasta de papel da Altri, em Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco, declarações que reiterou em Abrantes, ao final do dia, já no distrito de Santarém.

PUB
O presidente da Comissão parlamentar de Ambiente e autarcas do Médio Tejo manifestaram-se hoje muito preocupados com a relação da qualidade com a quantidade de água no Tejo, a par da eutrofização da água da albufeira de Cedillo, em Espanha. Foto: mediotejo.net

Para o deputado do Bloco de Esquerda (BE) e presidente da Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, esta situação levanta uma questão com toda a clareza: “O Estado português tem que renegociar a convenção de albufeira”.

“Temos que garantir, além de caudais ecológicos e mínimos contínuos, e não médias feitas semanalmente (…). Não pode ser, porque isso traz problemas ao sistema ecológico e à própria erosão das margens. Mas, também o problema da qualidade da água que chega cá. Isto tem que ser tratado com Espanha com toda a fraternidade, mas com toda a firmeza também”, sustentou.

Arlindo Marques, guardião do Tejo, acompnhaou o dia de trabalho da Comissão Parlamentar de Ambiente. Foto: mediotejo.net

Pedro Soares sublinhou que aquilo que se está a passar na albufeira espanhola de Cedillo é um bom exemplo das dificuldades que Espanha está a ter com a gestão da bacia hidrográfica do rio Tejo.

O presidente da Comissão parlamentar de Ambiente e autarcas do Médio Tejo manifestaram-se hoje muito preocupados com a relação da qualidade com a quantidade de água no Tejo, a par da eutrofização da água da albufeira de Cedillo, em Espanha. Foto: mediotejo.net

Já sobre a visita à Celtejo, adiantou que a fábrica fez investimentos que foram relevantes no sentido do tratamento dos efluentes, com uma nova estação de tratamento de efluentes industriais (ETEI).

“Aquilo que podemos perceber é que este investimento foi antecipado, agilizado, precisamente porque houve uma grande pressão da opinião pública e também da nossa comissão parlamentar, no sentido de por cobro à situação que se estava a viver”, disse.

Contudo, adiantou que há ainda um caminho que precisa de ser feito, visto existirem um conjunto de aspetos, tanto ao nível da poluição atmosférica e também dos próprios efluentes, que precisam de investimentos e de ser tratados.

“Há matérias ao nível da retenção das partículas que resultam do processo de transformação que é necessário ainda trabalhar (…). As questões que nos foram colocadas por populares e autarcas hoje em Vila Velha de Ródão fazem-nos suscitar uma grande preocupação em relação às partículas em suspensão no ar”, frisou.

A reunião de trabalho juntou os deputados dos vários partidos políticos que integram a Comissão Parlamentar de Ambiente, os autarcas de Abrantes, Constância, Mação, e Vila Nova da Barquinha, entidades como a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), associações de ambientalistas, cidadãos, entre outros. Foto: mediotejo.net

Este responsável realçou que é preciso perceber que monitorização está a ser feita nessa matéria.

“O que é que se está a passar efetivamente para a projeção dessas partículas e que perspetiva é que a empresa [Celtejo] tem relativamente à resolução desse problema. Esse é um caderno de encargos que a comissão tem já nos próximos tempos para resolver”, afirmou.

Abrantes l Comissão Parlamentar do Ambiente debate qualidade e quantidade das águas do Tejo.

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 1 de abril de 2019

Pedro Soares explicou que a emergência, nestes últimos anos, foi o problema da poluição no rio Tejo.

“Só podemos considerar que estes três anos de trabalho que tivemos teve um bom resultado, mas como eu disse, ainda está muito por fazer”, concluiu.

Abrantes l O Tejo em debate durante dois dias.

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 1 de abril de 2019

A Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação está a realizar ao longo desta segunda-feira e de terça-feira, dias 1 e 2 de abril, uma visita de trabalho a municípios localizados ao longo do rio Tejo.

Depois de terminar o dia desta segunda-feira em Abrantes, a comitiva visita amanhã a Ribeira da Boa Água, em Torres Novas, reúne depois em Vila Franca de Xira, e segue para o Montijo, para debater as questões ambientais ligadas ao novo aeroporto.

A Comissão do Ambiente conta nesta visita com o acompanhamento de autarquias, associações ambientalistas, associações empresariais, associações de agricultores e organismos públicos com competências ligadas ao Tejo.

c/LUSA

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here