Abrantes: Parque de Campismo é estrela da arquitetura mundial

Foto: Fernando Guerra

O projeto arquitetónico do parque de campismo de Abrantes, localizado em Rossio ao Sul do Tejo, na margem sul do Aquapolis, tem estado, nas últimas duas semanas, a ser mundialmente divulgado nas publicações de arquitetura, tendo já obtido destaque no Arch Daily, o site de arquitetura mais visitado do mundo, e na Dezeen, a mais influente revista do meio, onde é destacada a sua estrutura inovadora composta por uma série de grelhas verticais finas.

Contudo, os quatro arquitetos fundadores do Atelier Rua, responsável pelo projeto de arquitetura do parque de campismo de Abrantes, inaugurado em junho de 2014, lamentam que não tenha havido uma grande divulgação daquele espaço e esperam que venha a ser mais utilizado.

Segundo explicou ao mediotejo.net Rui Didier, arquiteto co-fundador do Atelier Rua, sedeado em Lisboa, o projeto do parque de campismo de Abrantes apostou numa “abordagem diferente”, bebendo inspiração das experiências dos seus autores. “Todos nós (arquitetos do Atelier Rua) conhecemos bem a realidade do campismo porque, uns mais que outros, acampamos desde miúdos”. Sendo vocacionado para “estadias mais curtas e mais de apoio às atividades ligadas ao Tejo, como as canoas, é um parque de campismo mais dinâmico, e foi-nos possível transmitir essa imagem diferente, essa imagem nova”.

O edifício, que marca pela diferença, funciona como uma espécie de cortina entre as casas existentes junto ao parque de campismo e o rio Tejo, e a sua forma parece serpentear o espaço envolvente. O utilizador percorre todo o espaço do edifício em contínuo ao longo de uma galeria que permite estar em contacto permanente com o exterior através das grelhas verticais.

Este edifício novo surgiu no âmbito do projeto de ampliação do parque de campismo ali existente e está a ter grande divulgação internacional. “Estamos muito satisfeitos com a projeção que este espaço tem tido no meio da arquitetura. A receção foi muito boa”, congratula-se o arquiteto Rui Didier.

PUB

Em declarações ao mediotejo.net, Rui Didier desabafou: “Temos um pouco de pena porque não houve uma grande divulgação do próprio parque de campismo como deveria ter havido, estávamos um pouco desalentados com isso. Mas agora começa a ser reconhecido, o que é bom para nós e para a própria Câmara de Abrantes”, disse, acrescentando que ficarão “desiludidos se o espaço não for utilizado”.

ParqueAbt8

O parque de campismo de Abrantes dispõe de diversas áreas multifuncionais como local para colocação de tendas e outra área para caravanas e autocaravanas, além de um espaço de convívio, esplanada coberta e descoberta, cafetaria e mini-mercado, zona para lavagem de loiça/roupa, zona distinta de balneários masculinos e femininos, além das áreas técnicas, de serviço auto, de recolha de lixo, entrada de serviço e área de lazer.

Inaugurado a 14 de junho de 2014, dia da cidade de Abrantes, o Parque Tejo, onde o parque de campismo está inserido, integra ainda o Centro de Interpretação do Tejo, um espaço com atividades científicas ligadas à água e ao ambiente, com atividades multimédia.

286 campistas entre março e dezembro de 2015

De acordo com informação facultada pela Câmara de Abrantes ao mediotejo.net, entre março e dezembro de 2015, um total de 286 campistas e caravanistas utilizaram o parque de campismo de Abrantes. No que se refere ao número total de noites de permanência, entre março e dezembro de 2015, foram 171. “Os utentes (caravanistas e campistas) que estiveram no Parque Tejo são provenientes de diversas origens que vão, com a preponderância óbvia para Portugal, à Alemanha, França, Espanha, Bélgica, Itália, Roménia, Holanda e Inglaterra”. Além de países europeus, a autarquia destaca ainda “a presença de brasileiros que, depois da primeira estadia, voltaram ao Parque Tejo, e neozelandeses”.

Os dados da Câmara revelam ainda que 338 pessoas visitaram a exposição sobre a “Cultura Avieira” que se realizou em agosto passado no Parque Tejo.

No que se refere aos equipamentos virtuais do Centro de Interpretação do Tejo, a autarquia refere que “como é do conhecimento público, a empresa responsável pelos mesmos entrou em processo de falência. Em simultâneo com esse processo de falência ocorreram diversos problemas técnicos com os equipamentos, problemas esses que neste momento se encontram na fase final de resolução. Prevê-se que estejam totalmente operacionais e novamente disponíveis ao público no início do próximo mês (fevereiro)”.

A autarquia de Abrantes salienta ainda que “além do empenho que tem existido para conferir mais atractividade à valência de acolhimento do ParqueTejo, nomeadamente através da campanha de promoção turística “Abrantes tudo incluído”, lançada em setembro, brevemente serão assinados protocolos com diversas entidades de diferentes valências com o intuito de dinamizar o Parque Tejo, não só na valência de acolhimento, mas também na valência de Parque de Ciência e Lazer”.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here