Abrantes | ‘Câmara dos Jovens’ nasce para incentivar comportamentos de cidadania

Reunião de Câmara Municipal de Abrantes. (Da esquerda para a direita) o vice-presidente João Gomes, os vereadores Luís Dias, Rui Santos e Armindo Silveira.

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou, esta sexta-feira, a realização do regulamento para o programa ‘Câmara dos Jovens’. A iniciativa vai arrancar brevemente e deverá estar em funcionamento no próximo ano letivo, com um montante financeiro alocado de 10 mil euros.

PUB

O pedido de abertura do projeto de minuta da iniciativa ‘Câmara dos Jovens’ foi, esta sexta-feira 8 de fevereiro, aprovado por unanimidade em reunião de Câmara de Abrantes. O Código de Procedimento Administrativo determina que “qualquer proposta de regulamento tem de ter primeiro a aprovação do órgão Executivo e só depois é que é minutado. Uma alteração administrativa que burocratiza um pouco mais a ação e a celeridade da tramitação”, explica o vereador Luís Dias ao mediotejo.net.

A ‘Câmara de Jovens’ tem como objetivo potenciar comportamentos de cidadania, valorizar as opiniões dos jovens, as suas ideias e perspectivas para o futuro. Dirige-se a jovens com idades compreendidas entre os 14 e os 21 anos, naturais ou residentes em Abrantes (mesmo que se encontrem fora do concelho) ou que estudem num dos estabelecimentos de ensino do concelho há pelo menos um ano.

Trata-se de uma iniciativa apresentada numa Assembleia das celebrações do 25 de Abril por um jovem abrantino, João Gaio e Silva, “que na altura lançou o desafio de em Abrantes se criar um conceito de jovem autarca em que passaria também a intervir pontualmente naquilo que são as ações executivas da Câmara Municipal” referiu o vereador.

Após alguma maturação da ideia, o projeto “evoluiu para algo mais semelhante ao que é o modelo organizativo das autarquias locais”, no caso concreto, da Câmara. “Numa lógica de uma política mais ativa, em conformidade com as políticas sectoriais para a juventude, abre-se “a possibilidade de um conjunto mais alargado de jovens, em que as próprias questões da democracia paritária e de igualdade de género estejam devidamente salvaguardadas”. Assim, defende, “alarga-se o leque e não será um só jovem a participar na iniciativa de cidadania participativa” mas “um conjunto de jovens, à semelhança do que acontece aquando das eleições autárquicas”. Assim, sete elementos irão a ‘sufrágio’ para serem eleitos no âmbito da ‘Câmara de Jovens’.

PUB

Ou seja, jovens da comunidade abrantina dos 14 aos 21 anos serão convidados a fazer parte de uma das listas candidatas à ‘Câmara dos Jovens’ e poderão ser eleitos para cumprir o mandato de um ano, havendo momentos de “apresentação de listas, campanha eleitoral, debates, etc.”, explica Luís Dias.

A Câmara Municipal irá alocar a esta proposta, que chega do Conselho Municipal de Juventude, uma fatia do orçamento municipal estipulado para o próximo ano em 10 mil euros, e que será gerido por essa ‘Câmara de Jovens’.

O Executivo acredita que no início do próximo ano letivo a ‘Câmara de Jovens’ estará a trabalhar, até porque, segundo Luís Dias, “há um conjunto de áreas temáticas de intervenção”, estando convicto de que a ‘Câmara dos Jovens’ “vai conseguir executar já alguns dos seus projetos ainda no decurso deste ano”.

Luís Dias considera esta iniciativa “uma forma altamente construtiva não só de valorizar a ação destes órgãos mas também de impedir a tremenda demissão cívica que se tem verificado nos últimos anos. Também para evitar que esta penalização da não participação não seja extensível a esta franja tão relevante para a construção do nosso futuro coletivo”.

PUB

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here