Abrantes: “Bebé do Centenário” é primeira iniciativa das comemorações da cidade

A Câmara Municipal de Abrantes realiza este sábado, dia 2 de janeiro, aquela que é a primeira iniciativa do ano no âmbito das comemorações do centenário da elevação de Abrantes a cidade.

PUB

“Bebé do Centenário” é o nome da iniciativa que será apresentada no sábado, pelas 12h, no auditório da biblioteca do Hospital de Abrantes. Na ocasião, será feita uma entrega simbólica do pack ao primeiro bebé nascido no novo ano de 2016, ano do centenário da cidade de Abrantes, na maternidade.

Recorde-se que para as comemorações do centenário da cidade de Abrantes, que se estendem durante todo o ano de 2016 (*), foi criada uma comissão que é presidida pelo professor catedrático Fernando Catroga, natural de S. Miguel do Rio Torto.

O anúncio foi feito oficialmente a 14 de Junho de 2015, pela presidente da Câmara, Maria do Céu Albuquerque, durante a cerimónia oficial do dia da cidade de Abrantes que se realizou na Igreja de Santa Maria do Castelo, no Castelo de Abrantes.

abrantes_comissão do centenario_Foto CMA
Membros da Comissão das Comemorações do Centenário da Cidade de Abrantes durante a apresentação a 14 de junho de 2015

Integram ainda esta Comissão das Comemorações do Centenário de Abrantes, para além de Fernando Catroga, Humberto Felício (artista), Isabel Cavalheiro (professora de História), Joaquim Candeias da Silva (professor e historiador), Liliana Vasques (coordenadora da Universidade Aberta – centro local de aprendizagem de Abrantes), Isilda Jana (professora de História), Manuel Gonçalves (professor de Educação Física), José Martinho Gaspar (professor e historiador), Nuno Gomes (professor de Matemática) e Pedro Costa (arquiteto).

PUB

Fernando Catroga nasceu em 1945 na freguesia de S. Miguel do Rio Torto, concelho de Abrantes. Foi aluno da EICA – Escola Industrial e Comercial de Abrantes, atual Escola Dr. Solano de Abreu. Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, centrou toda a sua atividade científica, (docente/investigador) no âmbito da História das Ideias e da História da Cultura, abordando temas tão diversos como a História da História, o Cientismo, o Positivismo, o Laicismo e o Republicanismo, entre outros temas.

Jubilou-se no dia 25 de maio de 2015, dia em que deu a sua última aula. Para lá da sua experiência de orientação, orientador de algumas teses de doutoramento, participou em vários projetos de investigação e foi ainda diretor da Revista de História das Ideias; presidente da Comissão Científica do Grupo de História; membro da comissão organizadora do colóquio “Os intelectuais e os poderes”, entre outros cargos. É ainda autor de vários livros publicados.

Imagem gráfica do Centenário

A partir do dia 1 de janeiro de 2016, a Câmara Municipal de Abrantes vai começar a usar o logotipo criado para as comemorações do centenário da cidade.

Miguel Palmeiro, designer do Porto, foi o vencedor do concurso lançado pela autarquia para a criação do logótipo das comemorações do centenário da cidade, com um trabalho que se baseou nos alicerces do Castelo de Abrantes, remetendo para o passado, mas com os olhos postos no futuro.

abrantes_logotipo centenario
Miguel Palmeiro e a sua equipa do atelier do Porto foram os criadores do logotipo do Centenário da Cidade de Abrantes

Sem conhecer muito bem Abrantes, Miguel Palmeiro aceitou o desafio lançado pela autarquia em Junho passado e, no seu escritório no Porto, desenvolveu aquela que é oficialmente a imagem de marca das comemorações dos 100 anos da elevação a cidade.

Na sua proposta, criada em conjunto com a equipa do seu atelier, Miguel Palmeiro apresentou outras imagens iconográficas, associadas ao logotipo principal dos 100 Anos, mas que podem ser usadas em diferentes materiais e ocasiões no âmbito das comemorações do centenário.

“Independentemente de não conhecer a cidade, conseguiu chegar a uma identidade onde todos os abrantinos se reveem”, afirmou Maria da Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, durante a cerimónia de entrega dos prémios.

“Não foi difícil chegarmos ao logotipo vencedor, houve aqui um trabalho de grande maturidade que nos agradou”, referiu a autarca. “O tijolo dá a ideia de continuidade, celebrando o passado mas alicerçado no futuro.”

Dos 28 trabalhos entregues no âmbito do concurso lançado pela autarquia a 14 de junho de 2015, foram selecionados cinco finalistas. O trabalho vencedor “foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Estratégico” das comemorações do centenário.

Originalidade, criatividade, legibilidade e boa visibilidade em ambientes digitais, boa capacidade de reprodução gráfica e aplicação a diferentes materiais foram os principais critérios tidos em conta na apreciação das propostas.

(*) atualizado a 02/01/2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here