“A morte pela mão do Homem”, por Flávio Catarino

O momento em que um abelharuco captura uma abelha em voo, em Montalvo, Constância. Foto: Flávio Catarino

Como é possível continuarmos indiferentes a toda a morte que os Homens “civilizados” continuam a espalhar?

PUB

Deparei-me ontem, num local que deveria ser um Santuário – não propriamente religioso, nem tão pouco pagão, apesar de acreditar na religião da Natureza -, rapinado pela ganância sem escrúpulos de alguns homens!

Foto: Flávio Catarino

Este Santuário encontra-se em Montalvo, Constância, e está amplamente identificado como tal. Um Santuário onde várias espécies de pássaros deveriam estar protegidas! Um Santuário onde os Abelharucos, após uma emigração desde o Norte de África, descansam, constroem os seus ninhos, acasalam, ensinam as suas crias a serem adultos, para depois poderem regressar ao seu outro lar.

Espécie essa, adorada por muitos, belíssima, colorida, que cada vez tem menos locais em Portugal onde pode nidificar. Espécie essa, que é protegida, e que não pode ser tratada de qualquer maneira por qualquer delinquente. Espécie essa, odiada por outros, assassinada, envenenada, armadilhada, por ter uma alimentação insectívora, por gostar de abelhas…

Abelharuco (Merops apiaster)

Relatos são ouvidos de armadilhas com fios de coco e anzóis, pendurados, para que os Abelharucos sejam apanhados, simplesmente para não se alimentarem das abelhas do mel, das colmeias de alguns homens! Relatos são ouvidos de ninhos que são impregnados com enxofre, para matar todas as aves!

PUB

Multiplicam-se os casos de Abelharucos que aparecem mortos, nos próprios ninhos, ou caídos na estrada, sem causa aparente, e esses casos têm sido fotografados e denunciados!

Para que alguns ignorantes saibam, a dieta dos Abelharucos não é nem de longe nem de perto exclusivamente feita de abelhas, muito menos somente das abelhas do mel, como são chamadas. Alimentam-se de libélulas, vespas, formigas voadoras, gafanhotos e muitos outros insetos, alguns considerados pragas! Se os Abelharucos desaparecerem, o equilíbrio natural desaparece e as espécies que eles comem tornam-se pragas por falta de predadores.

Este Santuário foi profanado pela ganância dos homens e, por meia dúzia de euros em areia, destruíram dezenas de ninhos, sem qualquer espécie de consciência!

Chega, eu ACUSO!

Os abelharucos fazem ninhos em buracos nas paredes de areia. Fotos: Flávio Catarino

Não há explicação para a tristeza que senti, ao chegar a este santuário e não ter encontrado qualquer sinal dos grandes grupos de Abelharucos que ali costumava fotografar. Apenas silêncio e o cenário que se pode ver nas fotos: pilhagem sem qualquer escrúpulo, por alguns quilos de areia, provocando também derrocadas em algumas zonas das barreiras arenosas, destruindo os ninhos restantes.

Foto: Flávio Catarino

Espero, do fundo do meu ser, que essa ausência não se deva a terem morrido às mãos de homens sem escrúpulos, que não tenham perecido às mãos deste cobardes pilhadores, mas tenham simplesmente completado o ciclo de vida, após toda esta violência e destruição, e que tenham regressado a África!

Aguardarei com esperança que regressem no próximo ano, e que as medidas que irão ser tomadas os protejam e assegurem a continuidade da espécie a nidificar neste local.

Foto: Flávio Catarino

Há uns meses tirei fotografias de uma carrinha, com dois homens, cobardes, que escavavam essa areia, em zona onde estavam ninhos ocupados. É agora publicada a foto, e aviso que foi feita queixa, na altura, na GNR em Abrantes!

Foto: Flávio Catarino

Irei bradar aos céus e às Autoridades competentes para encontrarem os responsáveis! Não me irei calar! E a prova disso está nesta primeira forma de protesto!

Chega! Eu ACUSO!

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here