À Descoberta | Fauna e flora do Médio Tejo

Estorninho-preto
Sturnus unicolor

Um dos cenários mais reconhecíveis da nossa avifauna engloba a presença dos estorninhos-pretos em antenas de televisão. Esta é uma alusão à sua abundância em zonas humanizadas, onde pode ser facilmente detectado.

Embora se trate de uma espécie facilmente reconhecível, o estorninho pode ser confundido com o melro-preto. Apresenta, tal como este último, o bico amarelado e o corpo escuro, embora a cauda seja mais curta, a postura mais erecta; distingue-se pelas patas rosadas pelos e tons esverdeados brilhantes no corpo, que é simultaneamente mais compacto. No Inverno, apresenta pintas claras ao longo do corpo, tornando a sua distinção face ao estorninho-malhado bastante difícil. Ainda assim, o aspecto geral desta ave face à sua congénere é sempre mais escuro. Os juvenis são castanhos.

Relativamente bem distribuido ao longo do território, pode ser localmente abundante junto a algumas localidades. Trata-se de uma espécie endémica da Península Ibérica e do sul de França, residente, e por isso observável durante todo o ano.
A partir do final do Verão podem ser observados bandos que reúnem dezenas ou mesmo centenas de indivíduos.

Exemplar fotografado em Tramagal em 24-05-2019.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here